Curso de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfibrilhador

Curso de Suporte Básico de Vida Adulto com Desfilibrador

A doença cardiovascular assume uma liderança destacada no mundo ocidental na morbilidade e mortalidade das populações. A morte súbita é muitas vezes a primeira manifestação dessa doença. A fibrilhação ventricular é o mecanismo mais frequente da
paragem cardio-respiratória (PCR) de origem cardíaca e o seu único tratamento eficaz é a desfibrilhação eléctrica.

A probabilidade de sobrevivência é tanto maior quanto menor o tempo decorrido entre a fibrilhação e a desfibrilhação.

Sendo que a rápida desfibrilhação enquanto objetivo é difícil de atingir se efetuada apenas por médicos, já que a PCR ocorre
na maioria das vezes em ambiente pré-hospitalar, recomenda-se que profissionais não médicos sejam treinados e autorizados a utilizar desfibrilhadores desde que a sua atuação seja enquadrada em Programas de DAE com controlo e auditoria médica qualificada.

Só assim se conseguirá a conjugação de esforços que tornam a desfibrilhação um meio para atingir um objetivo último de melhoria da sobrevida após PCR de origem cardíaca. Nesse sentido, e com intenção de promover a utilização de Desfibrilhadores Automáticos Externos
(DAE) em locais públicos ou em veículos de emergência, organizou-se esta ação que visa formar operacionais de Desfibrilhação Automática Externa.

Programa:
▪ Cadeia de Sobrevivência.
▪ Riscos para o reanimador.
▪ Algoritmo de SBV.
▪ Posição lateral de segurança.
▪ Algoritmo de desobstrução da via aérea.
▪ Algoritmo de SBV com DAE.

Horário/Cronograma:
Laboral e/ou pós laboral

Formação:
▪ Sessões teóricas;
▪ Demonstrações;
▪ Workshop;
▪ Sessões práticas.

Avaliação:
Avaliação Prática Contínua (com todos os formandos em sala).
Aprovação: classificação igual ou superior a 10 valores.

Gerais:
Adquirir competências que lhe permitam realizar corretamente manobras de SBV com utilização de um Desfibrilhador Automático Externo (DAE), numa vítima em paragem cardiorrespiratória.

Específicos:
▪ Compreender o conceito de cadeia de sobrevivência;
▪ Identificar os potenciais riscos para o reanimador;
▪ Saber executar corretamente as manobras de SBV;
▪ Conhecer o conceito de DAE;
▪ Identificar as regras de segurança inerentes à utilização de DAE;
▪ Descrever os passos e a sequência de intervenções com o DAE;
▪ Saber executar corretamente o algoritmo de SBV com utilização de DAE.

No final do curso será emitido:

▪ Certificado comprovativo de que o formando completou o curso com
aproveitamento, mencionando a nota final obtida.

Nota: O formando que não obtenha aproveitamento poderá solicitar à entidade uma
declaração de frequência do curso, com indicação das horas em que esteve presente.

Formadores

Casos de Éxito

Grupos

Lecturer

Ricardo Carneiro