Notícias - Do It Better

Notícias

Saiba qual é o salário base de um Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem

écnico Fisioterapia e Massagem

Quer saber quanto ganha um Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem? Neste artigo vai encontrar tudo o que precisa de saber sobre a profissão, desde as funções, saídas profissionais e respetivo rendimento.

Um técnico fisioterapeuta é um especialista da área da saúde que se dedica a cuidar de problemas que condicionam os movimentos e a capacidade funcional dos indivíduos. O profissional deverá ter competências para:

  1. Fazer a avaliação e o diagnóstico da condição do paciente;
  2. Realizar o plano de intervenção e proceder à sua implementação;
  3. Proceder à avaliação dos progressos do paciente.

Para proceder à reabilitação física do paciente, o auxiliar de fisioterapia recorre a diversas técnicas, nomeadamente à massagem. Sendo a massagem uma das principais técnicas utilizadas por um fisioterapeuta, a Do It Better alia o melhor dos dois mundos no seu curso de Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem. A massagem terapêutica é uma massagem localizada, que pode ser realizada para os seguintes efeitos:

  • Aliviar as dores musculares e outras dores físicas;
  • Ajudar a tratar a depressão;
  • Aliviar o stress proporcionando o relaxamento;
  • Aliviar as dores causadas por uma postura desaconselhada.

Estes profissionais no desempenhar da sua função contactam diretamente com o paciente, o que lhes permite ter muita autonomia no desempenho da profissão. É também uma profissão de muita responsabilidade e que exige muita dedicação, tornando-se assim numa profissão bem remunerada. O salário médio de um técnico fisioterapeuta em Portugal, sem experiência, é de 766 euros, sendo que o salário mínimo ronda os 511€ e o máximo 1098€. Estes valores vão aumentando consoante os anos de experiência na área.

Curso Técnico de Fisioterapia e MassagemAs saídas profissionais nesta área são bastante vastas, o que torna a área da fisioterapia e massagem ainda mais aliciante! O curso de Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem da Do It Better utiliza uma metodologia única e inovadora para preparar os seus formandos para desempenhar as suas funções com bastante rigor. Com este curso poderá vir a trabalhar em SPAS’s, Centros de Terapia, Clínicas de Fisioterapia, Centros de Medicina de Reabilitação, Health Clubs, Clínicas Especializadas em Estética, etc.

Interessa-se pela área? Então do que está à espera? Invista em si e no seu conhecimento, venha ser BETTER connosco!

Autoria: Sofia Pinto

Saiba qual o salário base de um Chef de Cozinha

 

Um homem com chapéu de cozinheiro e avental a apontar para as lletras que dizem salário base de um chefe de cozinha em portugal

Emprego cresceu mais de 9,4 na restauração. Salário médio é de 851 euros.

Um ordenado de um chefe de cozinha depende de vários factores. Se trabalha para uma empresa privada alcança valores bastante diferentes do que quando trabalha para uma empresa pública.

Assim sendo, um chefe de cozinha, ganha entre 649 euros e 2000 euros, dependendo dos anos de experiência e do local onde trabalha.

O mercado de trabalho para esta profissão está em altas e a tendência é aumentar cada vez mais.

A vida das pessoas, especialmente nas grandes cidades, está cada vez mais acelerada, agitada e cheia de compromissos. Este factor, indirectamente, contribui para que as pessoas comam cada vez mais fora de casa, uma vez que saem do trabalho tarde e quando chegam a casa não tem nada preparado.

MAS O QUE FAZ NA PRÁTICA UM CHEF DE COZINHA?

Ser chefe de cozinha não é tarefa fácil. Para se chegar a este cargo, é necessário muito estudo, muito suor, componente teórica e muitas horas a praticar em frente ao fogão.

Além de não contar com os fins de semana, feriados e não ter horário para sair do estabelecimento, o chefe de cozinha deve ser o primeiro a chegar, e , naturalmente, o último a sair.

AS PRINCIPAIS TAREFAS DE UM CHEF DE COZINHA

  • Estudar muito o mercado e as tendências dele
  • Cozinhar
  • Desenvolver ementas
  • Organizar e fiscalizar a cozinha
  • Elaborar preços que se adeqúem aos seus pratos
  • Ter uma equipa consistente e preparada.

 

No Curso de Chef de Cozinha e Pastelaria da Do It Better, estimulamos os formandos para a aprendizagem da culinária de pratos com aromas, sabores e pratos autênticos, onde são fornecidas técnicas essenciais para a função de cozinheiro, apresentando-lhe conhecimentos de normas de higiene e segurança alimentar, direcção dos trabalhos de cozinhas, desenvolvimento de habilidades na estruturação de ementas, como também na preparação de refeições.

O curso de Chefe de cozinha e pastelaria, destina-se a todas as pessoas apaixonadas pela área de cozinha e pastelaria, que queiram aprofundar e aperfeiçoar as suas competências e conhecimentos.

Aqui damos-lhe a oportunidade de seguir o seu sonho.

 

A importância da Fisioterapia e Massagem no desporto

fisioterapia e massagem no desportoTodos os atletas, quer de alta competição ou não, desejam obter melhores resultados. Para isto, é necessário seguir um plano de treinos, de forma a melhorar a resistência e evitar as lesões, daí a importância da fisioterapia e massagem no desporto.

A prática de desportos pode estar relacionada com lesões musculares durante a realização de exercícios.

As lesões podem surgir por:

  • não ter existido aquecimento, ou por este não ter sido feito da melhor maneira;
  • situações em que o desportista esforça em demasia o seu corpo.

É importante existir um trabalho de prevenção de lesões e preparação do atleta nas suas diferentes dimensões. Assim, o atleta terá menos lesões e um melhor desempenho, se optar por ter um acompanhamento de fisioterapia e massagem no desporto que pratica. 

Fisioterapeuta no desporto

O Fisioterapeuta no Desporto é um profissional de saúde reconhecido, que demonstra competências específicas, na promoção da atividade física de forma efetiva e segura.

Para um desportista lesionado é essencial um rápido processo de recuperação e um retorno ao exercício acompanhado e orientado, para evitar que a lesão volte a aparecer.

A fisioterapia não é apenas para recuperar de uma lesão muscular, mas sim para prevenção e melhorar o desempenho de qualquer praticante de desporto em diferentes níveis de competição

Os principais objetivos, da fisioterapia no desporto são:

  •  preparação, é preciso preparar o corpo para obter bons resultados;
  • celeridade, fazer rápidas recuperações de lesões e preparar o atleta para uma competição em específico;
  •  equipamento, trabalhar em equipamentos de exercício para obtenção de resultados.

Massagem desportiva

As massagens na prática de desporto são importantes para prevenir lesões, tanto para amadores como profissionais e pode ser feita na pré e pós-competição.

As sessões de massagem desportiva devem ser realizadas sempre após um treino e a sua frequência depende da carga de treino.

Um atleta de alta competição que faça treinos 2 treinos por dia deve fazer duas sessões de massagem por semana. Já um atleta que faz 1 treino por dia, basta uma sessão de massagem por semana.


A massagem desportiva reúne um conjunto de técnicas que visam:

  • o melhoramento do tónus muscular (tensão elástica que representa o músculo a relaxar);
  • proporcionar o aumento da performance física, que envolve a reabilitação dos tecidos moles do corpo, incluindo músculos, ligamentos e tendões.

Este tipo de massagem  é composta por um conjunto de técnicas de manipulação das estruturas músculo-esqueléticas, mas com incidência particular em zonas corporais cruciais à atividade desportiva.

É uma massagem caracterizada por movimentos suaves, lentos e firmes no corpo inteiro, de forma a relaxar a musculatura e proporcionando alívio das tensões e stress, encorajando os músculos a recuperar após o treino. Assim, o sangue e o oxigénio conseguem voltar aos músculos a um ritmo normal e fazer uma reparação eficaz dos tecidos musculares, tornando-os mais fortes e resistentes.

Este tipo de massagem aplica-se em:

  • pré-treino desportivo;
  • treino desportivo;
  • pós-treino desportivo;
  • pré-competição, competição e pós-competição;
  • pós-viagem;
  • prevenção de lesões.

Contudo, para se beneficiar de uma massagem desportiva não é necessário ser-se atleta.

A massagem é uma das mais antigas formas de terapia e um método fundamental no alívio de dor, relaxamento, estimulação e recuperação muscular, que a nível preventivo, terapêutico ou desportivo.

Os seus benefícios são:

  • estimulação da circulação sanguínea;
  • alivio das tensões físicas e emocionais;
  • combate à ansiedade, a  insónia, a irritabilidade e falta de concentração;
  • combate à dor de cabeça;
  • eliminação de toxinas do organismo.

 

A importância da fisioterapia e massagem no desporto

Após o treino, são indicados exercícios de alongamento e diversos tipos de massagem para remover nódulos e evitar lesões, estimulando o sistema mecânico e neuromuscular.

É importante que o praticante de desporto tenha acompanhamento de um fisioterapeuta, para evitar lesões e conseguir um melhor rendimento físico.

A massagem desportiva deve ser considerada como um complemento à atividade física, sendo considerada tão importante como a alimentação e suplementação do atleta.

Posto isto, um atleta que deseja ter uma vida desportiva saudável deverá ter em conta a importância da fisioterapia e massagem no desporto, para que consiga obter sempre os melhores resultados.

Jéssica  Monteiro

5 Verdades e Mitos sobre o Exercício Físico

5 Verdades e Mitos sobre o Exercício Físico

 5 Verdades e Mitos sobre o Exercício Físico

 

Saiba as verdades e mitos sobre tudo aquilo que envolve o exercício físico para que possa atingir os seus objetivos e iniciar os treinos da forma mais equilibrada e segura… 

 

Atualmente, conciliar uma boa alimentação e apostar no exercício físico frequente é imprescindível para uma vida equilibrada. Segundo o Expresso, cerca de 95% dos portugueses não vai ao ginásio.

 

Para quem começa no mundo dos ginásios as dúvidas resultantes de dicas e especulações sem qualquer tipo de fundamento cientifico fazem-nos tomar decisões precipitadas no método de treino o que consequentemente pode levar a lesões ou ineficácia para as necessidades e objetivos de cada individuo.

Mas afinal, o que há de verdade e o que não passa de mito?

 

1.  “ A Musculação ajuda na melhoria da postura.

VERDADE

A realização de um treino equilibrado e seguro, levando em consideração as diversas variáveis como deficiências de mobilidade, estabilidades articulares e assimetrias entre membros, pode ajudar e muito na melhora da postura. Contudo é obrigatoriamente necessário o acompanhamento com avaliação física prévia uma vez que não ter este tipo de atenção leva a lesões e ao agravamento de desvios posturais já existentes.

 

2. ”O período mais indicado para o exercício é pela manhã.

MITO

Apesar de alguns estudos afirmarem que a melhor altura para realizar exercício físico seria pela manhã uma vez que ajuda a estimular o corpo a queimar mais gorduras ao longo do dia, os especialistas conferem que a melhor altura para exercitar deverá ser no horário que lhe mais convêm e onde se sente melhor porque o importante não é definir horários restritos mas sim ativar o corpo com a prática de exercícios.

 

3. “Para diminuir a bariga é necessário realizar exercícios de força abdominal com maior frequência.

MITO

Quando estes exercícios físicos são realizados de uma forma isolada, contribuem para aumentar a tonicidade e volume dos músculos do abdómen, o que consequentemente leva ao aumento da própria zona.

Deste modo, se esses exercícios forem integrados num método de treino metabólico e articulados com outros exercícios de grande intensidade leva a uma perda de perímetro abdominal. Trabalhar a zona abdominal sozinha, não vai queimar gordura, mas apenas enrijecer a musculatura.

 

4. “A natação está entre os exercícios físicos mais eficientes.”

VERDADE

Efetivamente, cada exercício físico possui a sua finalidade e trabalha com diferentes músculos. Contudo a natação destaca-se por conseguir exercitar praticamente todos os músculos ao mesmo tempo sem qualquer impacto severo sobre o seu sistema musculoesquelético, assim pode ajudar a reduzir as dores durante a fase de adaptação aos exercícios.

Estudos constam que as pessoas que têm problemas cervicais ou hipercifose dorsal, por exemplo, recomenda-se nadar ao estilo crol (crawl) com a cabeça de fora.

É necessário ter atenção com as técnicas que executa uma vez que se não for feita corretamente pode provocar stress lombar e dorsal. Informe-se sempre com um especialista sobre qual é o melhor exercício físico que deverá realizar.

 

5. “Treinar em jejum emagrece?

PARCIALMENTE MITO

Treinar em jejum encorre no risco de ficar indisposto ou desmaiar mas apenas se for de alta intensidade. Treinar em jejum com exercícios físicos de cardio com intensidade baixa ou média ajuda o corpo a procurar energia da gordura visto que não ingeriu alimentos. Por outro lado, de manhã é quando o seu metabolismo está mais acelerado, com o cardio só vai acelerar ainda mais e assim queima mais gorduras durante o dia.

Assim, aposte numa alimentação saudável e faça de cinco a seis refeições ao dia de forma equilibrada e com alimentos leves e de fácil digestão. Nos lanches, prefira frutas frescas, sumos naturais e iogurtes.

Quantas peças de fruta deve comer por dia?

 

Independentemente de tudo o que foi referido no artigo é necessário ter sempre atenção que deverá aconselhar-se junto a um profissional para qualquer questão. A segurança começa por ter noção daquilo que pode ou não fazer no ginásio.

Auditoria: Ana Rita Furtado

 

Mais sobre o Curso de Personal Trainer:

 

 

Top tendências

Top 3 Tendências de Maquilhagem

Top 3 tendências de Outono/Inverno de maquilhagem

Nesta imagem podemos ver alguns produtos de maquilhagem espalhados ao longo de todo o plano. Podemos ver também o número 3 e por baixo o texto que o acompanha, 3 tendencias de maquilhagem outono/inverno 2019

Porque é que a maquilhagem é tão importante na vida das mulheres?

A maquilhagem acompanha a vaidade humana há séculos. O seu papel era desempenhado para seduzir, embelezar, mostrar força e poder. No entanto, este papel nos dias de hoje continua a ser desempenhado, embora tenha sofrido algumas alterações.

Hoje a maquilhagem oferece um cuidado redobrado para a pele, como produtos hidratantes e com protecção solar. Além do conceito de bem- estar a maquilhagem oferece efeitos tecnológicos incríveis, com 3D e alta definição.

O mercado da cosmética foi-se adaptando ás exigências dos consumidores criando cada vez mais marcas e tipos de maquilhagem para cada pessoa.

Alguns exemplos de marcas de maquilhagem que se adaptaram ao mercado:

 

  • The green beauty concept, uma marca de maquilhagem vegan;
  • The body shop, uma marca 100% cruelty free, que não testa em animais;
  • Clinique, uma marca de produtos para pessoas com alergias e irritações na pele.

Cores para cada estação

Cada estação do ano tem geralmente a si associada uma cor. As cores de Outono/Inverno 2019 são cores que remetem para o frio e para os dias mais cinzentos, como é o caso da cor Bordo, da cor verde tropa, do Camel ao laranja e por fim um tom vermelho que é um clássico da maquilhagem no geral.

 Mas afinal quais as tendenciais mais usadas em casa estação? 

Neste artigo vamos falar-lhe do Top 3 tendências Outono/Inverno

 Top 1 – Sombra abaixo dos olhos

Esta tendência tem como objectivo, virar a maquilhagem ao contrário. A sombra passa a aparecer com mais destaque nas pestanas inferiores. Uma ideia perfeita para quem não tem medo de inovar e quer garantir um look único e cheio de personalidade.

Esta tendência é feita para mulheres que querem sair fora da sua zona de conforto. Ser se criativo é o que se exige.

 

Top 2- Eyeliner com traços gráficos 

Esta é uma das tendências que vai marcar esta estação seja nas ruas, nos desfies de moda ou em revistas de beleza. Aqui é para explorar a criatividade, usar linhas retas, curva, continuas, usando os tons certos da estação ou até mesmo tons metalizados ou com glitter.

Confere personalidade ao look e ao mesmo tempo um ar sofisticado.

 

 Top 3- Um look minimalista

 Para quem gosta de look mais natural, a maquilhagem com blush em tons de pêssego, sombras e batons com cores mais nude, esta é também uma grande aposta destas estações, pois dá ao look um ar mais clássico para parecer o mais natural possível.

 

Tendências são apenas tendências e há mulheres que não as gostam de seguir por já terem o seu próprio estilo, no entanto, a maioria gosta de as seguir e é importante estar sempre actualizado para não perder nada.

Se sempre gostou de maquilhagem e tem gosto pela área da cosmética, nada melhor como vir conhecer a Do It Better. Aqui damos-lhe a oportunidade de seguir o seu sonho.

O curso de Maquilhagem Profissional destina-se a todas as pessoas apaixonadas pela área de estética, beleza e cosmética e que queiram aprofundar e aperfeiçoar as suas competências e conhecimentos.

Auditoria:Madalena Queiroga

Green Day – Descontos

Saiba tudo aquilo que é necessário para que o nosso desconto seja válido para a sua formação! Confira as nossas condições de desconto sobre o Green Day.

– As ações de formação pressupõe um número mínimo de 6 formandos;
– O arranque oficial de uma ação de formação poderá acontecer num período até 6 meses;
– Só cabe direito à devolução do valor pago no ato da inscrição, ultrapassado esse período previsto para abertura (6 meses);
– Os descontos só serão aplicados em cursos com o valor igual ou superior a 400€

Descontos Aplicados – Green Day :

20% e/ou 10% em cursos de longa duração.

  • 20% aplicado apenas para pronto pagamento.
  •  10% aplicado para pagamentos em prestações (aplicado no valor da última mensalidade.

10% e/ou 5 % de desconto para cursos da área de segurança, curta duração e personalizados.

  • 10% aplicado apenas para pronto pagamento;
  • 5% aplicado para pagamentos em prestações (aplicado no valor da última mensalidade)

Venha à Do It Better e poupe no seu futuro!

Estamos à sua espera!

Autoria: Madalena Queiroga

Condições de desconto

As nossas condições de Desconto

Condições de desconto

Saiba tudo aquilo que é necessário para que o nosso desconto seja válido para a sua formação! Confira as nossas condições de desconto sobre a Black Friday.

 – As ações de formação pressupõe um número mínimo de 6 formandos;

 – O arranque oficial de uma ação de formação poderá acontecer num período até 6 meses;

 – Só cabe direito à devolução do valor pago no ato da inscrição, ultrapassado esse período previsto para abertura (6 meses);

– Os descontos não são acumulativos com outras campanhas em vigor;

– Os descontos só serão aplicados em cursos com o valor igual ou superior a 400€;

Descontos Aplicados – Black Friday e Saturday Off:

  • 30% e/ou 15% de desconto para cursos de longa duração
    • 30% aplicado apenas para pronto pagamento
    • 15% aplicado para pagamentos em prestações (aplicado no valor da última mensalidade)
  • 15% e/ou 5% de desconto para cursos da área da Segurança, Curta Duração e Personalizados
    • 15% aplicado apenas para pronto pagamento
    • 5% aplicado para pagamentos em prestações (aplicado no valor da última mensalidade)

*Para mais informações contacte-nos 800 20 99 93

 

Saiba todos os Descontos que a Black Friday tem para si em diversas marcas.

Black Friday

A Black Friday chegou à Do It Better!

Black Friday

Deixe-se de histórias! A Black Friday chegou à Do It Better, descontos até 30% esta 6.º feira.

Marque já na sua agenda, dia 29 de novembro é dia de ir ao centro da Do It Better mais perto de si e realizar a sua formação de sonho connosco.

A Do It Better dispõe de cursos de formação profissional presenciais, direcionados para o mercado de trabalho e que resultam em altas taxas de empregabilidade. Num mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo, procuramos ser a ponte para uma futura profissão, em diversas áreas como saúde, beleza, veterinária, segurança, educação, cozinha e administrativo.

Encontre o curso ideal para si e adquira novos conhecimentos, melhore as suas competências ou aprenda uma nova profissão.

Não se esqueça! 6.º feira é dia de Black Friday. Para mais informações contacte-nos 800 20 99 93.

Autoria: Jéssica Monteiro

segurança

Exames de Segurança passam a ser realizados no DSP

segurança

A partir deste mês de novembro, os exames de segurança passam a ser realizados no Departamento de Segurança Privada (DSP), uma vez que a PSP aprovou o regulamento do exame teórico e das provas práticas de acesso, reingresso ou manutenção na profissão regulada de pessoal de segurança privada.

 

Os exames teóricos e as provas práticas constituem um requisito adicional obrigatório para obtenção do cartão profissional e não substituem a avaliação de conhecimentos realizada pelas entidades formadoras que culmina na emissão do certificado de formação profissional através do SIGO (Sistema Integrado de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa).

Estes exames teóricos são realizados no Centro Nacional de Exames de Segurança Privada da Polícia de Segurança Pública (CNESP) e originam a emissão de um Certificado de Aptidão Profissional.

Contudo, a formação em cursos ligados à Segurança continuam a ser ministrados por centros de formação certificados pela DGERT, e pela PSP. Este modelo de certificado é emitido pelas entidades formadoras autorizadas na área da segurança privada, através do SIGO, após conclusão com aproveitamento da formação profissional do pessoal de segurança privada.

A preparação e aplicação do exame teórico e das provas práticas, bem como a fiscalização da sua execução, são asseguradas pela Polícia de Segurança Pública (PSP), através do Departamento de Segurança Privada (DSP) e, sempre que aplicável, com o apoio da Unidade Especial de Polícia (UEP).

Compete desta forma ao Departamento de Segurança Privada da Polícia de Segurança Pública (DSP) organizar o CNESP para aplicação dos exames de segurança de acesso, reingresso ou manutenção na profissão regulada de pessoal de segurança privada, bem como fixar os respetivos parâmetros de avaliação.

O formando está obrigado a realizar 2 momentos de avaliação: o primeiro, na entidade formadora, que tem em vista a avaliação dos conhecimentos ministrados pelo centro de formação; o segundo, no CNESP, após aproveitamento na formação.

Quando o formando termina com aproveitamento o exame realizado no seu centro de formação receberá o Certificado de Formação Profissional através do SIGO. Já o exame realizado posteriormente no CNESP, atribui ao formando o Certificado de Aptidão Profissional, emitido através do SIGESP (Sistema Integrado de Gestão de Segurança Privada).

A marcação do exame no CNESP é responsabilidade da entidade formadora que disponibilizou a formação profissional ao formando. Este exame é realizado através de computador e decorre na plataforma informática do CNESP, sendo composto por 20 perguntas, dobre conteúdos lecionados na formação com a duração de 40 minutos. Ficam aprovados todos aqueles que respondam corretamente a pelo menos 10 questões.

Em caso de reprovação, o examinando pode requerer a revisão do exame, no prazo máximo de 48h após a realização do mesmo, através de requerimento, devidamente fundamentado, dirigido ao Diretor do DSP.

Cada sessão de exame conta com a presença permanente de dois examinadores, credenciados pelo DSP, competindo-lhes identificar os examinandos e coordenar presencialmente a realização dos exames.

Exames de segurança

Outro dos exames de segurança são as provas de avaliação práticas da especialidade de Vigilante de Proteção e Acompanhamento Pessoal (VPAP) e a fiscalização da sua execução são asseguradas pela PSP, através do DSP, com o apoio do Corpo de Segurança Pessoal (CSP) da Unidade Especial de Polícia (UEP).

As provas decorrem num só dia, com a duração máxima de oito horas, e realizam-se na sede da UEP da PSP.

Para a execução das provas práticas é constituído um júri, ao qual compete a realização de todas as operações relativas à avaliação. Tais provas têm como objetivo avaliar a técnica utilizada e, essencialmente, a eficácia da mesma, sendo compostas por cinco momentos de avaliação, que incidem sobre as seguintes matérias:

  • Formação básica de proteção pessoal;
  • Buscas em alojamentos;
  • Inspeção de viaturas;
  • Deslocação em viaturas;
  • Luta e defesa pessoal.

Autoria: Jéssica Monteiro

O que é necessário fazer para terminar o 12º

O que é necessário fazer para terminar o 12º?

O que é necessário fazer para terminar o 12º

Quer saber o que é necessário fazer para terminar o 12º ano? Vamos explicar-lhe como!

Neste artigo explicamos-lhe de A a Z o que é necessário fazer para terminar o 12º ano.

Se tem mais de 18 anos, já pode terminar o 12º ano de forma mais rápida. Através do curso de Conclusão do 12º ano para adultos da Do It Better pode melhorar os seus níveis de escolaridade e, consequentemente, a sua empregabilidade.

O que é necessário fazer para terminar o 12º ano?


Em Portugal, a escolaridade mínima obrigatória abrange o 12º ano.
O nível de escolaridade define o patamar máximo a que um estudante chegou na sua carreira académica, escolar ou de formação. As entidades empregadoras têm em consideração o nível de escolaridade quando avaliam o perfil de um candidato para uma vaga de emprego.
O nível de escolaridade é sempre considerado importante no processo de candidatura a uma oportunidade de emprego.

Para a conclusão do ensino secundário, com o curso de Conclusão do 12º ano para adultos, tem as seguintes opções:

  • Se tem o 9º ano e quer fazer o 10º, 11º e 12º ano, poderá fazê-lo em 24 meses;
  • Se tem o 10º ano e quer fazer o 11º e 12º ano, poderá concluir o ensino secundário em 12 meses;
  • Se tem o 11º ano e quer fazer o 12º ano, poderá concluí-lo em 6 meses.

Em qualquer um dos três casos, o tempo é reduzido para metade, em comparação com o que seria no ensino escolar regular.

O curso tem como objetivo que os formandos acabem com todo o conhecimento necessário para se inserirem numa vida ativa e que se consigam adaptar facilmente aos diferentes contextos do trabalho.

Este curso é certificado pelo Centro Qualifica e pelo Catálogo Nacional de Qualificações.

Autoria: Raquel Perleques

Entrar na Segurança Privada em 4 Passos

Entrar na área da Segurança Privada em 4 Passos

Entrar na Segurança Privada em 4 PassosNeste artigo vamos mostrar como entrar na área de Segurança Privada em 4 Passos – O perfil, os requisitos, o curso e muito mais…

Ao longo dos últimos anos a área de Segurança Privada tem vindo a crescer tanto na procura como na oferta – em 2019 as empresas de Segurança Privada cresceram cerca 6% em Portugal.

A actividade de Segurança Privada tem vindo a assumir uma inegável importância em Portugal, daí serem raras as organizações que não contratam empresas externas de Segurança Privada para assegurar os serviços de Segurança, Portaria, Transportes de Valores, Vigilância entre outros…

Sendo uma área com elevadas taxas de empregabilidade, resultou também no aumento da procura. Afinal quem é que não quer fazer um Curso que tem praticamente integração direta no mercado de trabalho?

Neste momento deve-se estar a questionar, mas afinal quais são os requisitos? Será que tenho perfil? Qual é a duração do curso? E o preço?

Neste artigo descrevemos como pode entrar na Segurança Privada em 4 simples passos.

1.Tem perfil para o cargo?

Escolher uma carreira na área de segurança e vigilância requer compromisso e responsabilidade no sector onde atua uma vez que trabalha num equipa para assegurar o bem-estar da população.

Uma boa apresentação pessoal confere uma imagem de profissionalismo, segurança e conforto. O profissional deve ser cordial e disciplinado, evitando a falta de educação e brutalidade.

Deve apresentar uma postura profissional tanto na abordagem de uma situação conflituosa como atencioso com quem solicita uma informação.

A atenção e boa memória visual ajuda em situações de perigo como na memorização de matriculas ou cores, contribuindo assim para uma ação preventiva.

Por fim, o profissional tem que ter uma boa comunicação. É fundamental para a organização da equipa no que toca a distribuir funções e tarefas. A organização começa dentro da equipa.

2. Quais os Requisitos para se candidatar?

Para ingressar numa formação na área da Segurança Privada em Portugal, não precisa de ter uma formação superior.

Contudo é necessário ter escolaridade mínima obrigatória e a frequência de um curso certificado onde é dada toda a formação inicial necessária ao cumprimento das tarefas.

Possuir a escolaridade obrigatória.

  • Nascidos até 31/12/1966 – 4º ano,
  • Nascidos entre 01/01/1967 e 31/12/1980 – 6º ano,
  • Nascidos a partir de 01/01/1981 – 9º ano;
  • Nascidos a partir de 01/01/1996 – 12º ano.

Assim, existem alguns pré-requisitos e documentação obrigatória para o exercício da atividade.

Saiba mais sobre Quem pode ser Segurança em Portugal ?

3. Porque a frequência obrigatória de um Curso numa entidade certificada?

A realização de um curso diretamente focado para a aprendizagem de todos os conceitos, das tarefas que terão de cumprir futuramente referentes à atividade de segurança e vigilância são imprescindíveis.

A finalização do curso permite ter a possibilidade de realizar o exame que lhe concede o Cartão do Ministério da Administração Interna (Cartão do MAI), isto é, o Cartão Profissional de Vigilante para que possa exercer atividade na área da Segurança Privada.

A partir de Novembro de 2019 e ao abrigo do Despacho n.º 8270/2019, os exames deixam de ser realizados nos Centros de Formação certificados pela Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT) e autorizadas, legal e especificamente para o setor da segurança privada, pela Polícia de Segurança Pública (PSP), para serem realizados no Centro Nacional de Exames de Segurança Privada da Polícia de Segurança Pública (CNESP) e originam a emissão de um Certificado de Aptidão Profissional.

4. Cartão do MAI?

O cartão do Ministério da Administração Interna (MAI) é o cartão profissional de vigilante de segurança privada que titula a competência do vigilante para o exercício das suas funções. 

A documentação necessária é:

  • Identificação (cartão cidadão ou BI/NIF/NISS) ou equivalente;
  • Comprovativo de morada;
  • 2 Fotos tipo Passe (com fundo branco e sem uniforme);
  • Registo Criminal (para o exercício da actividade de segurança privada);
  • Certificado de habilitações;
  • Exame médico (Emitido por médico de Medicina do Trabalho, incluindo avaliação psicológica).

Para candidatos estrangeiros (para além do referido anteriormente acresce):

  • Registo Criminal (Original do país de origem);
  • Passaporte (Fotocópia do Passaporte).

Com uma validade de 5 anos é necessária a realização de uma atualização do cartão. Se o seu cartão MAI já caducou ou irá caducar em breve inscreva-se já no nosso curso de atualização do Cartão MAI.

Auditoria: Ana Rita Furtado

Entrar na Segurança Privada

Saiba mais sobre a área da Segurança Privada:

 

Quantas peças de fruta devemos consumir por dia?

Quantas peças de fruta devemos consumir por dia

O consumo de frutas é um dos fatores mais importantes para termos um estilo de vida saudável. Mas quantas peças de fruta é que devemos consumir por dia?

Desde já é importante saber-se que a fruta é bastante importante para conseguirmos uma vida saudável e ocupa 20% da roda dos alimentos, pois as dietas ricas em consumo de frutas variadas estão associadas a vários benefícios para a saúde.

Em quantidades controladas, a fruta é dos melhores alimentos para a nossa alimentação, pois são ricas em nutrientes e ajudam a prevenir doenças. E já agora, dê sempre prioridade a frutas da época, pois são mais saborosas e mais ricas!

Deve-se comer frutas diferentes ao longo do dia, porque as frutas são constituídos por nutrientes diversificados, como fibras, antioxidantes, minerais e vitaminas. Posto isto, é importante consumirmos várias frutas diferentes, de modo a que elas se complementem ao longo do dia e obtermos maiores benefícios para a nossa saúde.

As frutas e legumes devem estar sempre presentes em todas as refeições diárias e aconselha-se a que sejam consumidas cruas e no que diz respeito à fruta com a casca também, mas sempre devidamente bem lavados, pois desta maneira estará a aproveitar tudo de bom que estes alimentos têm para si.

Se todos os dias optar por consumir fruta, esta vai ajudá-lo a diminuir o consumo de alimentos ricos em gordura e açúcar, como ainda lhe fornece vitaminas que o vão ajudar no melhor funcionamento do organismo. Para além de tudo isto, dá-lhe também uma sensação de saciado e, por isso, pode ajudá-lo na perda de peso.

Mas como já todos sabemos, a fruta contém um açúcar chamado frutose, que acaba por assustar muitos de nós quando pensamos no consumo de frutas que fazemos. É preciso ter cuidado na quantidade de fruta ao certo que se ingere por dia, por isso recomenda-se que nestes casos de saúde aconselhe-se com o seu médico para ficar a saber qual a melhor opção para si.

A frutose é o açúcar que faz parte das frutas e não só! Está também presente em alguns vegetais, sumos, mel, bolos entre outros, mas na verdade este tipo de açúcar torna-se mais saudável do que o tradicional açúcar branco. Contudo, consumido em excesso pode também tornar-se prejudicial e conduzir à obesidade e problemas no coração.

Mesmo assim, a frutose é absorvida pelo fígado e assim não causa picos de glicemia tão altos como o açúcar branco.

Posto isto, deve existir uma ingestão cuidada de frutas, dependendo sempre de pessoa para pessoa a quantidade exata para consumo diário.

A nova Roda dos Alimentos recomenda um aumento de consumo de frutas, hortícolas, leguminosas e cereais, uma vez que, o baixo consumo de frutos, hortaliças e legumes está entre os 10 fatores de risco para o aparecimento de doenças e morte prematura.

Na nova roda dos alimentos a Direção Geral de Saúde (DGS) destaca a importância de comer 3 a 5 peças de fruta por dia, não excedendo cada unidade 160 gramas, número este que varia de pessoa para pessoa, sendo que 3 peças de fruta, correspondem em média entre 36 e 45 gramas de hidratos de carbono.

Inclua a fruta fresca e algumas hortícolas cruas nos intervalos entre as refeições e ao pequeno-almoço. Pelo menos 1 das peças de fruta que consome diariamente deve ser um fruto rico em vitamina C, como por exemplo laranja, kiwi, tangerina, morangos, maçã, entre outros.

Existem 5 alturas do dia ideias para se consumir fruta, sendo as preferenciais, ao pequeno-almoço e pós-treino, uma vez que o nosso corpo durante a noite e durante os treinos perde glicogénico hepático e muscular, por isso podemos usar a fruta para repor.

A ingestão adequada de frutos, hortaliças e legumes previne o aparecimento de cancro, doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, carências nutricionais e distúrbios do aparelho digestivo, como por exemplo a prisão de ventre.

A fruta é um alimento que podemos consumir sempre, por isso, pode fazer da fruta a sua sobremesa de excelência!

Mas não se esqueça, os sumos naturais não substituem as peças de fruta fresca que ingerimos, ou devemos ingerir.

Se tem interesse em saber mais sobre como ter uma vida saudável e gostava de ter formação na área, a Do It Better tem para si o Curso de Nutrição, Dietética e Parafármica.

Autoria: Jéssica Monteiro