Notícias - Do It Better Cada vez mais os consumidores apostam nas compras online em vez das tradicionais compras em lojas físicas. Além de poupar tempo, hoje em dia, é possível encontrar praticamente tudo na internet e por vezes a preços bastante acessíveis.

Notícias

8 dicas para fazer compras online

Cada vez mais os consumidores apostam nas compras online em vez das tradicionais compras em lojas físicas. Além de poupar tempo, pode ainda poupar dinheiro visto que, hoje em dia, é possível encontrar praticamente tudo na internet a preços bastante acessíveis.

Fazer compras a partir do conforto de sua casa pode ser uma opção mas muitas vezes a dúvida que se coloca é: “Será seguro?”

Cada vez mais os consumidores valorizam e procuram segurança mas muitas vezes não têm conhecimento de como tornar todo o processo mais fiável. A Do It Better dá-lhe 8 dicas que o vão ajudar a fazer as suas compras online de forma mais segura:

  • Evite fazer as suas compras a partir de dispositivos públicos ou através de redes Wi-fi abertas. Os dispositivos públicos podem não ter os recursos de segurança necessários, como por exemplo, uma firewall ou um antivírus, e a probabilidade de terceiros acederem aos seus dados.
  • Mantenha-se seguro. Antes de iniciar as suas compras, verifique se na barra de endereço, no lado esquerdo do seu browser, existe um desenho de um cadeado. É importante também dar prioridade aos sites cujo endereço inclui https://, isto significa que os seus dados encriptados e, como tal, as suas compras serão mais seguras.
  • Analise o website antes de fazer compras online. Procure informações, opiniões, experiências de outros utilizadores sobre o website onde pretende fazer as suas compras.
  • Compare preços. Sejam produtos novos ou usados, procure em diferentes páginas, diferentes fornecedores/vendedores o mesmo produto e compare preços, prazos de entrega e a credibilidade que, nalguns casos, é avaliada através de opiniões de outros consumidores.
  • Spam. Desconfie de preços muito abaixo daqueles que são praticados no mercado. Quando o preço ou desconto é demasiado generoso, tenha atenção para não acabar por ser vítima de fraude e receber um produto falsificado ou até mesmo nunca chegar a receber o produto.
  • Não guarde os seus dados. Existem muitas lojas online que permitem guardar dados do seu cartão de crédito ou débito. Não é recomendável que o faça, porque se o site for hackeado, outros utilizadores poderão ter acesso aos seus dados. Para diminuir os riscos de fraude, pode optar por utilizar o PayPal (permite o uso do cartão de crédito sem que o site obtenha os seus dados).
  • Não ignore as condições de uso e políticas de privacidade. A tendência é darmos uma vista de olhos e passarmos este passo tão importante à frente. Tenha atenção, porque existe uma série de informações que o consumidor deve saber. Por exemplo, a recolha e a partilha de dados pessoas, prazos de entrega, reclamações, receber ofertas no futuro por empresas através do e-mail. Verifique se está de acordo com todos estes parâmetros.
  • Compras internacionais. Há sempre a hipótese de fazer compras em sites de outros países, pois existe uma maior oferta de produtos e a possibilidade de adquirir produtos que não se encontram em Portugal. É importante referir que cada país tem a sua própria legislação no que toca a compras online.

Estas são algumas das dicas para os consumidores mas também podem ser uma ajuda para as empresas. As marcas ao tornar seguras as venda dos seus produtos ou serviços online, pode ser uma mais valia e um grande ponto a favor, visto que os consumidores procuram segurança nas compras que fazem. Tudo isto, são pontos que poderão ajudar na construção de uma relação de empatia e confiança entre o consumidor e a própria marca.

 

8 Novas Áreas Certificadas pela DGERT

A Do It Better tem 36 formações certificadas, numa panóplia de 12 áreas de formação. Recentemente, alargamos a nossa certificação para mais 8 novas áreas certificadas pela DGERT. Desde Segurança e Higiene a Design, os novos cursos prometem ir ao encontro das novas necessidades do mercado e trabalho.

A Do It Better alargou as áreas certificadas, pela DGERT – Direção Geral do Emprego e Áreas de Trabalho, em mais 8 áreas de Educação-Formação, contando com 20 no total. Entre as quais: 

  1. Design;
  2. Línguas e Literaturas estrangeiras;
  3. Ciências Veterinárias;
  4. Ciências Dentárias;
  5. Turismo;
  6. Desporto;
  7. Serviço de Transportes;
  8. Segurança e Higiene no Trabalho
  9. Desenvolvimento Pessoal
  10. Marketing e Publicidade
  11. Informática na ótica do utilizador
  12. Serviços de apoios a crianças e jovens
  13. Hotelaria e restauração
  14. Formação de professores e formadores de áreas tecnológicas
  15. Terapia e reabilitação
  16. Trabalho social e orientação
  17. Proteção de pessoas e bens
  18. Saúde
  19. Cuidados de Beleza
  20. Gestão e administração

Segundo a DGERT, as nossas instalações apresentam espaço e equipamentos adequados ao desenvolvimento das intervenções nas áreas requeridas, existência de produtos pedagógicos (programas de formação e planos de sessão) que integram os parâmetros previstos no referencial de certificação, uma bolsa de formadores com perfil de competências adequado ao desenvolvimento de formação nas áreas de educação e formação.

É com enorme satisfação que a equipa da Do It Better vê o seu trabalho a ser reconhecido, de forma a garantir sempre uma qualidade de ensino aos seus formandos. Esforçamos-nos para conquistar sempre mais e melhor de modo a que possamos expandir não só para mais longe, mas de forma mais eficaz e competente, adaptando os nossos métodos de ensino às condições, quer do mercado de trabalho para que os nossos formandos sejam fortes concorrentes no mundo laboral, quer nos métodos de ensino, para que os nossos formadores sejam capacitados para dar o melhor de si. 

Com 15 centros de formação ao longo do país, convidamos-lhe a contactar o centro mais próximo de si para saber mais informações acerca de como pode prosseguir a sua formação de sonho. Estaremos à sua espera.

Prazo_de_validade_diferentes_denominações

Prazo de Validade – Conhece as diferentes denominações?

Prazo_de_validade_diferentes_denominações

Sabia que por detrás de um mero prazo de validade há muitos parâmetros aos quais devemos ter atenção? Se o assunto que está em dia são as preocupações em relação ao meio ambiente e se surgem cada vez mais ideias criativas sobre como ter um estilo de vida mais sustentável, estará na altura de falar um pouco sobre o desperdício alimentar!

Segundo o relatório da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura e pela União Europeia) de 2019, em Portugal são desperdiçados 1,3 mil milhões de alimentos aptos para consumo por ano.
São valores realmente assustadores para um país das dimensões do nosso, e por esse motivo a base para o combate desta problemática passa pela sensibilização e pela transmissão de conhecimentos e informações que podem não ser transmitidas pelos interesses económicos que acarretam.

Hoje em dia, muitas pessoas ainda não sabem qual é efetivamente a diferença entre as variadas denominações dos prazos de validade dos produtos que consumimos e adquirimos diariamente. Esta pode ser uma das principais razões para a quantidade de alimentos desperdiçados anualmente em Portugal!

Vamos então ao que interessa!

Sabe interpretar os prazos de validade dos alimentos?

As datas de validade tanto podem ser apresentadas como:

  • Data limite de consumo – Apresentadas como “consumir até”;
  • Data de durabilidade mínima – Apresentadas como “consumir de preferência antes de” ou “consumir de preferência antes do fim de”;

Ou seja, no primeiro, é apresentada a data até à qual se pode consumir o produto em segurança, no segundo, é apresentada a data até que se deve consumir preferencialmente, apesar do produto continuar a poder ser consumido desde que seja conservado tal como é indicado na embalagem.

  • Consumir até – indica a data limite de consumo de um produto, ou seja, o produto deve ser consumido apenas até à data indicada. O seu consumo após a data limite pode representar perigo para a saúde.

Alguns produtos que apresentam este tipo de prazo de validade: carne fresca, iogurtes e queijo fresco.

  • Consumir de preferência antes de – Indica a data de durabilidade mínima do produto, apresentada por Dia/Mês/Ano. É também a data até à qual o alimento conserva as suas propriedades específicas. O produto pode ser consumido depois da data apresentada desde que as regras de conservação sejam respeitadas.

Alguns produtos que apresentam este tipo de prazo de validade: azeite, bolachas e os cereais.

  • Consumir de preferência antes do fim de – Indica a data de durabilidade mínima do produto, identificada apenas por Mês/Ano. O produto pode ser consumido depois da data apresentada desde que as regras de conservação sejam respeitadas. Este tipo de prazo de validade é normalmente apresentado em produtos que, pelas suas características de conservação, têm uma durabilidade mais alargada.

Alguns produtos que apresentam este tipo de prazo de validade: congelados e conservas.

Há ainda produtos sem prazo de validade específico, como é o caso do sal, do açúcar e do vinagre, que são considerados conservantes naturais.

Conhecer estas diferentes denominações irá permitir-lhe fazer escolhas mais acertadas e ponderadas, rentabilizar o consumo destes produtos, permitindo a poupança e ainda diminuindo o desperdício alimentar desnecessário, contribuindo para um mundo mais sustentável, um tema bastante presente nos nossos dias!

Prazo_de_validade_diferentes_denominações

No Curso de Nutrição, Dietética e Parafarmácia da Do It Better, poderá aprofundar os seus conhecimentos acerca da nutrição, hábitos alimentares, segurança, microbiologia alimentar, medicamentos não sujeitos a receita médica e muito mais!

Ser saudável é saúde e promover um estilo de vida saudável será a sua função! Venha ser Better connosco!

Autoria: Sofia Pinto

Happiness_Manager_Nova_Tendência

Happiness Manager – Já ouviu falar deste novo cargo?

Happiness_Manager_Nova_Tendência

As preocupações das empresas em relação à felicidade dos seus colaboradores tem vindo a crescer, o que tem originado um maior investimento em atividades que fomentem relações entre colegas e envolvam os colaboradores à própria empresa. Assim, não é de estranhar que o cargo de Happiness Manager esteja a ganhar protagonismo no departamento de Recursos Humanos.

Mas então, quais são as funções de um Happiness Manager (Gestor de Felicidade)?

Este profissional, tal como o nome indica, faz a gestão e a monitorização da felicidade e da satisfação dos colaboradores no seu local de trabalho. O Happiness Manager deve criar e fomentar um ambiente saudável e familiar, o que passa pela organização de eventos e atividades que permitam estreitar os laços entre os colaboradores e a empresa e que permita também aumentar o nível de felicidade, o bem-estar e a satisfação dos mesmos.

Muitas empresas podem considerar ser um investimento prescindível, no entanto, a longo prazo irá proporcionar melhores resultados para a organização, tanto ao nível da sua imagem externa, como ao nível das receitas da empresa.

É fundamental que os colaboradores se sintam envolvidos e comprometidos com a organização, ou seja, que criem um vínculo afetivo com a empresa em que estão inseridos. Principalmente porque a maior parte do nosso dia-a-dia é passado no nosso local de trabalho, pelo que é imprescindível que nos sintamos bem na nossa empresa.
Este tipo de estratégias são uma excelente forma de atrair e reter talentos, criando um ambiente laboral que seja atrativo para desenvolver uma carreira profissional.

O Happiness Manager tem nas suas mãos o ativo mais importante da empresa: as pessoas. Por esse motivo este profissional deve ter o conjunto de competências de um profissional de recursos humanos, aliada a uma personalidade extrovertida que o permitam analisar as características e as necessidades de cada colaborador, podendo assim optar pelas melhores abordagens para cada indivíduo e para todo o grupo de colaboradores, de forma harmoniosa.

É fundamental haver um ambiente positivo e equilibrado dentro da empresa, onde os colaboradores se sintam ouvidos, integrados, compreendidos, onde sejam motivados e onde se sintam imprescindíveis para o sucesso da organização.

Todo este investimento vem da crença de que colaboradores mais felizes têm um maior desempenho, melhorando a produtividade da empresa! Por esse motivo, a inovadora função de Happiness Manager tem todas as capacidades para se desenvolver e se tornar num dos cargos mais importantes para uma empresa!

Mas quais são, efetivamente, as funções de um Happiness Manager?

  • Recrutamento, seleção e integração na empresa (acompanhamento ao longo de todo o processo);
  • Gestão do desempenho;
  • Reconhecimento do esforço e da performance dos colaboradores;
  • Planificação da progressão de carreira dos colaboradores;
  • Organização de atividades e eventos com os colaboradores;
  • etc…

O objetivo principal é fomentar relações win-win, ou seja, onde tanto a empresa como os colaboradores ganhem, ou seja, que se sintam beneficiados. Os colaboradores por estarem inseridos num ambiente de trabalho dinâmico e prazeroso, onde se sentem valorizados, e a empresa por beneficiar com a produtividade e com o forte desempenho dos colaboradores.

Ao contrário do que acontece em Portugal, no estrangeiro o cargo de Happiness Manager é mais recorrente. A Google terá sido uma das pioneiras, há mais de 10 anos.

Call_to_action_Recursos_Humanos_Happiness_Manager

Do que está à espera para fazer a diferença? Se é uma pessoa extrovertida, já tem parte do que é preciso para executar a função de Happiness Manager! O Curso de Técnico Administrativo e de Recursos Humanos da Do It Better dar-lhe-á todos os conhecimentos para completar as competências necessárias para desempenhar esta profissão da melhor maneira!

Invista na sua formação e no seu futuro! Venha ser Better connosco!

Autoria: Sofia Pinto

Importância_Música_Educação_Crianças

Importância da Música na Educação das Crianças

Importância_Música_Educação_Crianças

A música possui um papel importante na educação das crianças. Além de contribuir para o desenvolvimento psicomotor, sócio afetivo, cognitivo e linguístico, facilita ainda o processo de aprendizagem.

A música vai construindo todo um processo de conhecimento, favorecendo:

  • O desenvolvimento da sensibilidade;
  • O senso rítmico;
  • O prazer de ouvir música;
  • A criatividade, a imaginação, a memória, a concentração, a atenção;
  • O respeito pelo outro;
  • A socialização e a afetividade, contribuindo para uma efetiva consciência corporal e de movimentação. 

Na educação infantil, podemos ver a música como uma motivação e uma maneira de ensinar as crianças de forma diferente, favorecendo a sua auto-estima e o desenvolvimento do gosto pelo senso musical. Cantar e dançar música de boa qualidade proporciona diversos benefícios e é uma grande aliada no desenvolvimento a nível da saúde dos mais novos. 

A música tem a capacidade de estimular várias áreas do cérebro a nível:

  • Psicomotor;
  • Sócio afetivo;
  • Cognitivo e Linguístico;
  • Do processo de aprendizagem.

Felizmente e com o grande esforço de alguns profissionais desta área, muito se tem conseguido fazer em relação à Educação Musical que se aborda nas escolas. Esta forma diferente de proporcionar uma vivência musical aos alunos mostra uma maior motivação e aumenta a participação nas aulas, tendo em conta que esta deixou de ser uma disciplina tendencialmente teórica, para ser uma disciplina mais prática e participativa por partes de todos os intervenientes no processo educativo.

Ao ler este artigo, pode surgir a seguinte questão por parte de professores, educadores e auxiliares: “e se eu não souber cantar ou tocar algum instrumento?”

Como foi dito anteriormente, a música é muito importante para o desenvolvimento e aprendizagem de uma criança mas, se o professor, educador ou auxiliar se sente incapaz por não conseguir tocar nenhum instrumento ou não saber cantar, a melhor dica que podemos dar é tentar. Pode ser um grande desafio, mas não é impossível. É possível criar música a partir das coisas mais simples. 

Pode, por exemplo, usar como alternativa:

  • CD´s;
  • Gravações;
  • Vídeos.
  • Incentivar as crianças a cantar consigo.

O conselho é variar no estilo e ir alternando o reportório, desde música infantil ao jazz, por exemplo. Outra alternativa poderá ser também contar histórias cantadas. Alguns professores costumam utilizar este método para iniciar as atividades musicais.

Para o aluno com Necessidades Educativas Especiais esta aprendizagem, irá proporcionar-lhe uma melhor relação com o outro e com o Mundo, uma vez que lhe possibilitará partilhar as suas experiências musicais, ou outras, com o grupo no qual está inserido. Esta troca de conhecimentos permite que o aluno tenha uma experiência com outras culturas musicais, aumentando assim o seu leque de conhecimento na área da música. 

Estes conhecimentos adquiridos dentro da sala de aula irão permitir que o aluno, num futuro próximo, possa agarrar oportunidades numa área que à partida lhes era desconhecida. O ensino da música na escola torna-se assim bastante importante na medida em que essa aprendizagem refletir-se-á para o resto da sua vida.

A música na vida das crianças não terá apenas efeitos na parte educacional mas também a nível social, pois a música é capaz de influenciar sentimentos, estados de espírito, com a memória e até mesmo a concentração. Todos estes elementos são vitais para o ser Humano e para a sua adaptação ao meio em que está inserido.

Importância_Música_Crianças

A música não precisa de estar inserida apenas na rotina das crianças, poderá estar inserida também na sua. O curso de Técnico Auxiliar de Ação Educativa da Do It Better dar-lhe-á conhecimentos para que no mundo do trabalho possa criar, organizar e realizar todo o tipo de atividades com crianças, incluindo atividades ligadas à música. 

Autoria: Margarida Heitor

Guia_Suporte_Básico_de_Vida_Pediátrico

Guia de Suporte Básico de Vida Pediátrico

Guia_Suporte_Básico_de_Vida_Pediátrico

As manobras de Suporte Básico de Vida divergem consoante a idade da vítima. Em regra, os princípios gerais são os mesmos do adulto, existindo, no entanto, algumas diferenças que importa realçar quando as manobras são aplicadas em crianças.

Na criança, todas as estruturas anatómicas são mais frágeis pelo que as manobras têm que ser feitas com maior suavidade para não causar traumatismos à vítima.

Assim, torna-se relevante começar pela definição da idade:

  • Recém-nascidos: Bebés imediatamente após o parto e até aos 28 dias de vida. Têm especificidades próprias, que determinam que a sua reanimação cumpra procedimentos específicos;
  • Lactente: Bebés até 1 ano de idade;
  • Criança: Crianças com idades compreendidas entre 1 ano e a puberdade.

Neste artigo iremos abordar apenas as especificidades das manobras direccionadas para a idade lactente e para as crianças.

Assim, estes são os procedimentos de Suporte Básico de Vida a adotar quando a vítima for uma criança:

1. Avaliação das Condições de Segurança:

– Antes de abordar qualquer vítima deverá verificar as condições de segurança existentes para o reanimador, para a vítima e para terceiros, de modo a garantir que irá manter a estabilidade durante o socorro. Caso não disponha de condições de segurança, mantenha-se afastado e alerte o 112.

– Caso reúna todas as condições de segurança, aborde a vítima colocando-se à lateral da mesma, que deverá estar posicionada de “barriga para cima”.

2. Avaliar o Estado de Consciência da Criança:

– Toque suavemente nos ombros da vítima com as duas mãos e chame por ela (realizando estímulos táteis e verbais). Se a vítima tiver idade inferior a 1 ano, toque nas mãos e nos pés.

– Se a vítima responder aos estímulos, avalie a necessidade de alertar o 112 para uma emergência.

– Se a vítima não responder, peça ajuda a alguém que esteja perto. No entanto, não abandone a criança para ir pedir ajuda nem atrase o início das manobras de SBV (Suporte Básico de Vida). Avance para o passo seguinte.

3. Permeabilizar a via aérea

Numa criança inconsciente, o relaxamento da língua pode causar obstrução da via aérea.

– Em crianças com idade inferior a 1 ano, as vias aérea tornam-se permeabilizadas com uma posição neutra, tentando compensar a saliência da nuca.

– Em crianças de idade superior, deve-se conseguir a permeabilidade da via aérea, realizando a extensão da cabeça e a elevação do queixo.

4. Verificar se a vítima respira:

Após ter efetuado a permeabilização da via aérea deve avaliar se a vítima respira normalmente. Para verificar este aspeto a melhor técnica é a VOS e a sua aplicação não deverá exceder os 10 segundos:
– Ver: se existe expansão torácica;
– Ouvir: se existe ruído de passagem de ar;
– Sentir: o ar exalado da vítima na face.

– Se a vítima respirar, deve ser colocada em Posição Lateral de Segurança (de lado), ou ao colo mediante a idade (de lado também), e alertar o 112, especificando que a vítima é uma criança.

– Se a vítima não respira: mantenha a permeabilidade da via aérea, remova cuidadosamente qualquer obstrução que possa existir e inicie a ventilação com ar expirado, efetuando 5 insuflações.

5. Efetuar 5 insuflações iniciais:

– Em crianças de idade inferior a 1 ano, insuflar o ar suficiente para encher as bochechas;

– Em crianças de idade superior, insuflar até verificar expansão torácica.

– São cinco insuflações, que podem ser realizadas com as técnicas: boca-nariz-boca, boca-a-boca, ou máscara de insuflação.

6. Pesquisar sinais de vida

Após as 5 insuflações iniciais, o reanimador deve perceber se a criança tem circulação espontânea, através da pesquisa de sinais de vida (movimento, tosse, respiração normal) ou se necessita de compressões torácicas. Em caso de dúvida poderá ser realizada a técnica VOS (Ver, Ouvir, Sentir) novamente. Este passo não deve demorar mais do que 10 segundos. Se não houver sinais de vida deve iniciar de imediato as compressões torácicas.

7. Efetuar 5 ciclos de SBV (Suporte Básico de Vida)

– Cada ciclo de SBV (Suporte Básico de Vida) pediátrico é composto por 15 compressões torácicas e 2 insuflações. Caso esteja presente apenas um reanimador devem ser mantidas as manobras de SBV durante 1 minuto (5 ciclos da sequência) e só depois, deverá ligar o 112.

  • Compressões Torácicas:
    – Em crianças até 1 ano de idade, as compressões são realizadas com a ponta dos dois dedos sobre a metade inferior do esterno, comprimindo o tórax na vertical, de forma a causar uma depressão de cerca de 4 cm.
    – Em crianças de idade superior a 1 ano, são realizadas compressões colocando a base de uma mão na metade inferior do esterno, mantendo o braço esticado, comprimindo o tórax causando uma depressão de cerca de 5 cm.

– As compressões devem ter um ritmo de 100 a 120 por minuto.

  • Insuflações:
    Até 1 ano de idade – boca-a-boca-nariz:  a boca do reanimador envolve a boca e nariz do bebé e insufla 2 vezes a quantidade de ar suficiente para encher a boca da criança. Se existir máscara de insuflação deve ser aplicada invertida do sentido do adulto (com a zona do nariz para o queixo).
    Após um ano de idade – boca-a-boca: a boca do reanimador envolve a boca da vítima e insufla o ar suficiente para verificar se existe expansão torácica da vítima.

– As insuflações não podem atrasar o início das compressões mais do que 10 segundos.

8. Ligar 112:

– Ao ligar 112, devemos indicar a nossa localização, utilizando pontos de referência e especificar que a vítima é uma criança e que esta não respira e já foram iniciadas as manobras de SBV (Suporte Básico de Vida). Sempre que possível, devemos realizar a chamada mantendo as manobras de reanimação. Se estiver sozinho, pode ser utilizado um
telemóvel em alta voz, enquanto mantém o SBV (Suporte Básico de Vida).

9. Considerações finais:

– Após desligar a chamada, devemos manter os ciclos de 15 compressões e 2 insuflações na criança, até que:

  • a criança apresente sinais de vida (respiração, tosse, choro, movimentos ou abertura dos olhos);
  • sejamos substituídos por um médico ou profissional de saúde destinado a socorrer a situação;
  • estejamos exaustos e incapazes de continuar as manobras.

É fundamental que todos os cidadãos estejam preparados para eventuais situações em que seja necessário recorrer às manobras de Suporte Básico de Vida.

Call_to_action_Suporte Básico de Vida

O Curso de Suporte Básico de Vida Pediátrico da Do It Better irá dar-lhe os conhecimentos que necessita para saber como realizar corretamente as manobras, o que poderá ajudá-lo a salvar uma vida!

Autoria: Sofia Pinto

5 dias para ser o melhor auxiliar administrativo

Administrativo – 5 Dicas para ser o melhor profissional da área

5 dias para ser o melhor auxiliar administrativo

A profissão de Técnico Administrativo tem vindo a crescer em Portugal nos últimos anos, acompanhando o aumento do número de empresas que vão surgindo no país! Para que possa diferenciar-se dos restantes profissionais da área, siga as nossas dicas e torne-se num Técnico Administrativo incomparável!

A profissão de Auxiliar Administrativo é essencial para o bom funcionamento de qualquer empresa e isso reflete-se na quantidade de ofertas de emprego que surgem todos os dias nesta área. Este profissional é responsável pelas seguintes funções:

  • Receber, fazer e encaminhar chamadas;
  • Fornecer e receber informações sobre produtos e serviços;
  • Analisar, separar, controlar e arquivar documentos diversos;
  • Elaborar relatórios;
  • Ajudar na recepção;
  • Fazer orçamentos e relação de stocks;
  • Organizar reuniões e outras atividades;
  • Pagar contas e fazer faturamento.

Em suma, um auxiliar administrativo faz a ligação entre a empresa e a administração/gestão. Ou seja, este profissional presta auxílio a qualquer departamento de uma organização, desde o departamento financeiro, passando pelo de marketing e incluindo também o de recursos humanos, entre outros.

Para atender às necessidades destes profissionais, a Do It Better tem na sua oferta formativa dois cursos de Administrativo para que possa especializar-se na área da sua preferência! O Curso de Técnico Administrativo e de Recursos Humanos onde poderá adquirir os princípios base da área dos Recursos Humanos e assim poder auxiliar da melhor forma esse departamento, e o Curso de Assistente Administrativo e de Contabilidade, onde poderá adquirir os fundamentos base da Contabilidade e Fiscalidade.

Mas, se se interessa por esta profissão, nada melhor do que saber quais as 5 dicas para se poder tornar no Administrativo por quem todas as empresas sonham! 

Call_to_Action_Contabilidade

1ª Saiba gerir o seu tempo: Um técnico Administrativo terá que desempenhar diversas tarefas no seu dia-a-dia. Para que possa ser o mais eficiente possível, aconselhamos-lhe que saiba gerir bem o seu tempo para que possa acompanhar o ritmo da organização. Cumprir os prazos estipulados e os compromissos agendados será uma mais valia para si e para a organização e esta não ficará indiferente ao seu valor!

2ª Melhore a sua capacidade comunicativa: Tanto a habilidade escrita como a oral são muito valorizadas na profissão de Administrativo e poderá tornar-se num fator decisivo durante a fase de recrutamento. A escrita é essencial para desenvolver muitas das funções de um administrativo, por isso é essencial saber redigir um texto de forma objetiva, clara, formal e mais importante ainda, sem erros ortográficos!

A oralidade será uma mais valia quando tiver que atender telefonemas ou até quando tiver que receber algum cliente! A capacidade de argumentar, interagir, convencer e negociar, faz parte de uma boa comunicação e pode ajudar a alcançar resultados positivos para a empresa.

3ª Saber ouvir: É importante saber falar corretamente, mas, mais importante ainda, é saber ouvir. Muitas vezes falamos demais, sem saber previamente qual a dúvida ou até a necessidade do cliente, por isso é necessário que um profissional Administrativo seja um bom ouvinte. Para além disso, desempenhar as suas tarefas com ética será sempre um benefício para o seu percurso profissional, como por exemplo, saber que há informações confidenciais que devem ser mantidas em segredo.

4º Saber trabalhar em equipa e ser flexível a mudanças: Saber adaptar-se aos diferentes contextos profissionais que lhe podem surgir e ter competências para lidar e resolver eventuais dificuldades ou problemas é extremamente importante para um profissional Administrativo. Saber trabalhar em equipa é um atributo procurado para praticamente todas as profissões hoje em dia, e para a de Administrativo não é exceção!

5º Procure estar sempre a par de novas ferramentas: Para desempenhar as funções de um profissional Administrativo são utilizados diferentes programas, como é o caso do Microsoft Office, bastante versátil e utilizado em todas as empresas! A Do It Better tem um Curso de Excel que será um complemento ideal para quem quer desenvolver as suas competências para a profissão de Administrativo.

Este é o momento certo para investir em si e na sua carreira de sonho! Venha ser Better connosco!

Autoria: Sofia Pinto

Nova_Casa_Porto

A Do It Better do Porto tem uma nova casa 

Nova_Casa_Porto

No presente dia 24, serão inauguradas as novas instalações do novo centro de formação profissional da Do It Better no Porto. A mudança será feita da Praça D. Filipa de Lencastre para a Praça das Flores, 79 Bonfim. 

Esta mudança trará novas oportunidades e vantagens tanto a nível interior, como exterior devido à localização privilegiada. 

As novas instalações contam com salas de aula mais amplas e áreas de refeição e lazer maiores, onde formandos e formadores poderão fazer as suas refeições ou simplesmente conviver. Quanto ao espaço envolvente, este contará com comércio (um Mini Preço e o Centro Comercial Fontanário). Perto do Centro está também localizado o Parque de São Roque e as Finanças.

Relativamente ao estacionamento e transportes, as opções serão mais diversificadas. A nível de estacionamento, caso seja o carro o seu meio de transporte, existem quatro parques de estacionamento ao redor. A nível de transportes, são inúmeras as opções a que pode recorrer. Em volta do novo centro circulam sete autocarros diferentes, sendo estes o 300, 305, 401, 7M, 700, 800 e o 801. É de salientar ainda, que o centro fica a 10 minutos da estação do metro e comboio da Campanhã e a 15 minutos da estação do metro do Estádio do Dragão

Nem todas as mudanças são más, antes pelo contrário! Esta vem acompanhada de vantagens a pensar em si e na experiência que tem ou poderá vir a ter connosco.

Esta mudança será Better, e a Sílvia Rocha que o diga! Responsável pela equipa da Do It Better do Porto, a Sílvia participa neste artigo, como entrevistada, para explicar as mudanças, os novos desafios e outras novas etapas que a abertura do novo centro proporciona. Em modo de conversa, apresenta-nos, numa perspectiva interna, o que esta mudança simboliza.

O mapa do novo Centro do Porto, provando-lhe que só há vantagens! Quer a nível externo como a nível interno.
O mapa do novo Centro do Porto, provando-lhe que só há vantagens! Quer a nível externo como a nível interno.

DO IT BETTER: Quando e como surgiu a necessidade de mudar de centro no Porto? 

SÍLVIA: Surge com o objetivo de proporcionar ainda mais condições aos nossos formandos, desde salas novas e mais amplas, local de estacionamento, etc.

 

DO IT BETTER: Quais as expectativas para este novo desafio?

SÍLVIA: Crescer ainda mais e continuar a ser a referência na formação na cidade do Porto.

 

DO IT BETTER: Quais serão as diferenças entre o novo centro do Porto e o antigo? 

SÍLVIA: Áreas de lazer maiores, salas amplas e com luminosidade, salas práticas mais apetrechadas, estacionamento nas imediações, melhores acessos, entre outros. 

 

DO IT BETTER: O que os formandos e os formadores podem esperar do novo centro do Porto?

SÍLVIA: Espaço amplo e mais organizado, experiência única com o objetivo de mantermos a formação de excelência com sentimento de pertença e se se sentirem  casa.

 

O Centro da Do It Better do Porto tem uma panóplia de cursos profissionais, tais como Curso de Barbeiro Profissional, Curso de Cabeleireiro Unisexo, Curso de Vigilante e Segurança Privada, entre outros.

Caso se interesse por alguma destas áreas, ou deseje saber quais são os outros cursos que a Do It Better dispõe, convidamos-lhe a visitar-nos, quer no Instagram, quer no Facebook

 

Artigos relacionados:

Autoria: Margarida Heitor

Dicas_Beleza_Sustentável

Dicas de Beleza Sustentável

Dicas_Beleza_Sustentável

Se as alterações climáticas e o impacto ambiental que a indústria da moda e da beleza têm no nosso planeta não são novidades, então está mais do que na hora de realizarmos pequenas alterações aos nossos hábitos de consumo para o tornar mais sustentável. Mas calma, o objetivo não é olhar à volta e pensar que tudo tem de ser substituído, mas sim tirar o melhor proveito do que já temos e repensar nas nossas próximas aquisições. 

Não lhe devem ser desconhecidos conceitos como clean beautyconsumo consciente e beleza sustentável. Por isso, se sempre quis começar a adotar atitudes mais conscientes, leia as sugestões e dicas que selecionámos para que esta mudança seja mais fácil e prática para si, ou seja, para que se sinta bem seguindo um estilo de vida mais sustentável. Para além, claro, de ajudá-la a poupar!

Copos menstruais e pensos reutilizáveis 

Em alternativa aos tampões e aos pensos, esta proposta vem colmatar uma necessidade fisiológica, ou em outras palavras, uma preocupação mensal. Com duração de 3 a 5 anos, e em alguns casos até mais, os copos menstruais prometem facilitar a sua vida pois não irá precisar de se preocupar em dirigir-se ao supermercado ou farmácia mais próxima a dada altura do mês. E já parou para pensar quanto gasta anualmente apenas em pensos e tampões?

Discos de pano reutilizáveis 

Usar, limpar, repetir. É preciso mais explicação? É tão simples quanto isto. Os discos de pano reutilizáveis, funcionam como desmaquilhantes ou apenas como uma opção mais sustentável para aplicar o seu tónico, substituindo os convencionais discos de algodão. E engana-se quem pensa que apenas quem usa maquilhagem deve ter cuidados de pele. A nossa pele está constantemente exposta à poluição e às impurezas. Consequentemente, a limpeza da mesma é indispensável!

Refill, embalagens recicláveis ou recicladas, ou produtos sem embalagem

Com um mercado que tende a ser cada vez mais consciente, felizmente também têm vindo a surgir cada vez mais marcas que pensam de forma sustentável e optam pela opção de “refill”. A panóplia de produtos é vasta, desde shampoos, condicionadores ou até máscaras faciais. 

Escovas de bambu (dentes, cabelo)

Se a sua já não se encontra em boas condições e está a ponderar em substitui-la, opte por escovas, quer de dentes, quer de cabelo, que sejam de materiais naturais e mais sustentáveis como o bambu. 

Produtos de beleza livres de óleo de palma 

Caso ainda não tenha reparado, existem produtos que contêm na sua embalagem a seguinte informação “livre de óleo de palma”. Porquê? A quantidade de produtos que utilizam este óleo deu origem à extração desenfreada do mesmo, repercutindo-se na desflorestação de vários habitats naturais e florestas tropicais e na extinção de espécies como o orangotango, o elefante-pigmeu-de-bornéu e o tigre-de-sumatra. Começar a ter em atenção estes pequenos pormenores será um grande passo para um mundo mais sustentável!

Comércio ético

Já parou para pensar nas condições de trabalho e no salário das pessoas responsáveis por todas as fases de produção dos artigos que tem ao seu dispor? Apesar de começar a surgir uma maior consciencialização acerca desta temática em grandes superfícies de comércio, já todos ouvimos algum caso de trabalho escravo infantil. 

Se não quer cooperar com esta problemática, ou seja, comprar artigos produzidos nestas condições, informe-se primeiro e pondere as suas escolhas. Deixamos-lhe aqui 5 marcas de beleza sustentável para experimentar!

Verniz das unhas

Se não é uma profissional na área, porque razão precisa de uma paleta de cores interminável, se no final recorre sempre às mesmas? Caso esteja a pensar em fazer uma nova aquisição, saiba que existem vernizes mais sustentáveis que contêm menos químicos na sua composição o que facilita a sua degradação.

Quantidade vs Qualidade

Por outras palavras “menos é mais”. Acredite, irá facilitar as decisões na sua vida e alegrar o seu bolso. Por exemplo, já ouviu falar do conceito de “capsule wardrobe”? Consiste em criarmos um guarda-fato intemporal, ao invés de seguirmos as tendências do momento. Para além de se focar em descobrir o seu próprio estilo, ou seja, a sua assinatura, estará também a reduzir o tempo que leva a escolher o que vestir.

Recicle 

Reaproveite as embalagens dos produtos e dê-lhes uma nova vida, utilizando-as para outras finalidades. Este simples gesto não só irá contribuir para fomentar a sua criatividade, como o fará evitar comprar novas embalagens desnecessariamente. Por exemplo, e se usar as embalagens de amostras para as suas viagens? E se usar as borras de café para fazer um esfoliante?

Seja atento

Feliz e infelizmente, as palavras “sustentabilidade” e “green beauty” estão “na moda”. Portanto, é normal que muitas empresas se queiram adaptar ao mercado e posicionarem-se como “empresas sustentáveis“. Tenha em conta todas as informações deste artigo e aplique-as nos seus hábitos de consumo. Utilize marcas com as quais sinta empatia, com as quais se identifique e apoie. O que pode parecer simples e pequeno, tem um grande impacto num mundo mais sustentável!

Partilhe 

Aproveite uma tarde para reunir com as suas amigas e doar roupa, maquilhagem ou outros produtos dos quais não gostou, ou simplesmente já não usa mais. Relativamente a artigos de vestuário e acessórios, pode sempre dirigir-se a uma loja com artigos em segunda mão, vender online ou doar. Haverá sempre alguém que dará uma nova vida ao que para si já não faz mais sentido ter no armário.

Beleza Sustentável

Como podemos perceber, a área da beleza tem vindo a sofrer algumas alterações, acompanhando a tendência de um estilo de vida mais consciente e sustentável. Um dos objetivos da Do It Better é promover estas mudanças para que em conjunto, todos possamos construir um mundo melhor!

Gestora_financeira

Gestora Financeira, conheça o dia a dia desta profissão

Como é o dia de uma Gestora Financeira

Neste artigo convidamos-lhe a conhecer um membro da equipa da Do It Better de Lisboa, da área de Contabilidade, que trabalha como Gestora Financeira.

Brunna Coimbra, Licenciada em Gestão de Empresas pela Coimbra Business School e pela Univerzita Komenského v Bratislave, vem partilhar-nos como é um dia de uma profissional de gestão financeira na Do It Better. E claro, dar-nos-à alguns conselhos e dicas para quem deseja envergar na área contabilística. 

DO IT BETTER: Primeiramente gostaríamos de agradecer pela sua disponibilidade. É um prazer tê-la connosco no nosso blog. 

BRUNNA: Eu que agradeço, estarei sempre à disposição para ajudar no que for preciso.

DO IT BETTER: Após ter realizado a sua licenciatura, quais foram as expectativas face ao mundo do trabalho? E quais os grandes desafios profissionais desta área, relativamente à passagem da formação académica à realidade laboral?

BRUNNA: Quando terminei a licenciatura, ainda havia uma grande taxa de desemprego entre os recém-licenciados e por isso tive algum receio. Mas por sorte, este não era um problema para a minha área. Havia tantas vagas que, devido ao elevado nº de propostas que recebi, até pude escolher onde queria trabalhar, e um mês após terminar a licenciatura já estava a trabalhar no BNP Paribas.

A passagem da universidade para a realidade laboral para mim foi um choque. O meu primeiro emprego após a licenciatura foi num banco multinacional onde a responsabilidade era enorme, e o trabalho muito delicado. Lidava com milhões de euros em transacções e o risco era algo que me preocupava. O idioma utilizado no trabalho era o inglês e por vezes o francês, o que também me causou alguma insegurança por nenhum dos idiomas ser a minha língua materna. Mas tudo foi superável e por fim passou a ser algo completamente normal para mim.

DO IT BETTER: Como é um dia de trabalho como uma profissional da área de contabilidade, nomeadamente como Gestora Financeira? 

BRUNNA: Na Do It Better, o meu trabalho consiste em controlar os resultados operacionais de forma a que a empresa melhore a sua rentabilidade e atinja os melhores resultados possíveis. Isso implica alguns trabalhos contabilísticos como a inserção de faturas no PHC, reconciliação bancária e a criação de Excel de controlo mensal dos resultados. Também é necessário conhecer todas as áreas de trabalho de forma a conseguir criar planos de melhoria para a empresa em geral.

Por agora ainda estou a aprender tudo dentro da área financeira (processamento de salários, controlo de fechos de caixa, encomendas, inserção de faturas, devoluções, etc). Para isso é necessário ter conhecimentos básicos de contabilidade, como fazer lançamentos contabilísticos, balanços e balancetes, controlo de stock, entre outros.

DO IT BETTER:  Após termos perguntado aos nossos seguidores no nosso Instagram (@doitbetter.pt) acerca de questões que possivelmente tivessem relacionadas à área da contabilidade e gestão financeira, houve uma que se destacou particularmente: “Como é que o curso poderia me ajudar a entrar no mercado de trabalho e onde poderia conseguir emprego?”

BRUNNA: O curso proporciona noções essenciais para quem deseja trabalhar nesta área, como por exemplo, ensina a efetuar lançamentos contabilísticos, a criar balanços e a entender o SNC (código de contas e normas contabilísticas). Para além disso ainda proporciona conhecimentos de Fiscalidade (impostos como: IRS, IRC, IMI), que podem ser úteis tanto no ambiente laboral quanto pessoal (na criação do próprio IRS, na compra de uma casa, etc).

Acredito que qualquer empresa necessita de alguém para lidar com as responsabilidades contabilísticas, desde que haja entrada e saída de dinheiro existe a necessidade de algum controlo, por isso seria fácil conseguir emprego em pequenas e médias empresas.

DO IT BETTER: Para quem tenha curiosidade em iniciar um curso nesta área, o que deve ter em consideração ao escolhê-lo? 

BRUNNA· Para esta área é necessário gostar de números e ter atenção ao detalhe, um pequeno erro pode desencadear grandes problemas. Espírito crítico e criatividade também são importantes: espírito crítico para conseguir captar e prever problemas, e criatividade para resolvê-los.

Call_to_Action_Contabilidade

Curso de Assistente Administrativo e de Contabilidade tem uma panóplia de saídas profissionais, entre as quais Assistente Administrativo, Técnico de Contabilidade, Assistente de Tesouraria e Gestor de Cobranças.

Interessa-se pela área? Então do que está à espera? Invista em si e no seu conhecimento, venha ser BETTER connosco!

Artigos relacionados:

 

Autoria: Carmen Alcobio

Miniatura Dia Mundial Do Cancro

Cancro – Laços e os seus significados

Como símbolo universal da luta contra o cancro, os laços simbolizam, a esperança e a necessidade da informação face à doença. Porém, poucas são as pessoas que conhecem os significados da cor dos laços, ou até que têm conhecimento acerca da diversidade da paleta de cores dos mesmos.

JANEIRO

Cancro cervical: laço verde piscina

FEVEREIRO

Leucemia: laço laranja

 

FEVEREIRO

Cancro da Vesícula biliar: laço verde


 MARÇO

Cancro colorretal: laço azul marinho

 MARÇO

Cancro do Rim: laço vermelho

ABRIL

Cancro do Testículo: laço lilás

ABRIL

Cancro do Esôfago:  laço azul claro

ABRIL

Cancro da Cabeça e pescoço – laço vermelho e branco

MAIO

Cancro do Cérebro: laço cinza

JUNHO

Cancro da Pele / melanoma: laço preto

JULHO

Sarcoma:  laço amarelo

JULHO

Cancro da Bexiga: laço rosa, verde e roxo

JULHO

Cancro ginecológico/do colo do útero: laço verde escuro

AGOSTO

Linfoma: laço verde claro

SETEMBRO

Cancro dos pâncreas: laço roxo

 

SETEMBRO

Cancro do ovário: laço verde claro

 

SETEMRBO

Cancro da tireoide: laço rosa e azul

 

OUTUBRO

Cancro da mama: laço rosa

 

OUTUBRO

Cancro do fígado: laço verde musgo

NOVEMBRO

Cancro da próstata: laço azul

NOVEMBRO

Cancro do pulmão: laço branco

NOVEMBRO

Cancro de estômago: laço azul claro

 

   Autoria: Carmen Alcobio

Saiba qual é o salário base de um Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem

écnico Fisioterapia e Massagem

Quer saber quanto ganha um Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem? Neste artigo vai encontrar tudo o que precisa de saber sobre a profissão, desde as funções, saídas profissionais e respetivo rendimento.

Um técnico fisioterapeuta é um especialista da área da saúde que se dedica a cuidar de problemas que condicionam os movimentos e a capacidade funcional dos indivíduos. O profissional deverá ter competências para:

  1. Fazer a avaliação e o diagnóstico da condição do paciente;
  2. Realizar o plano de intervenção e proceder à sua implementação;
  3. Proceder à avaliação dos progressos do paciente.

Para proceder à reabilitação física do paciente, o auxiliar de fisioterapia recorre a diversas técnicas, nomeadamente à massagem. Sendo a massagem uma das principais técnicas utilizadas por um fisioterapeuta, a Do It Better alia o melhor dos dois mundos no seu curso de Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem. A massagem terapêutica é uma massagem localizada, que pode ser realizada para os seguintes efeitos:

  • Aliviar as dores musculares e outras dores físicas;
  • Ajudar a tratar a depressão;
  • Aliviar o stress proporcionando o relaxamento;
  • Aliviar as dores causadas por uma postura desaconselhada.

Estes profissionais no desempenhar da sua função contactam diretamente com o paciente, o que lhes permite ter muita autonomia no desempenho da profissão. É também uma profissão de muita responsabilidade e que exige muita dedicação, tornando-se assim numa profissão bem remunerada. O salário médio de um técnico fisioterapeuta em Portugal, sem experiência, é de 766 euros, sendo que o salário poderá ir até um máximo de 1098€. Estes valores vão aumentando consoante os anos de experiência na área.

Curso Técnico de Fisioterapia e MassagemAs saídas profissionais nesta área são bastante vastas, o que torna a área da fisioterapia e massagem ainda mais aliciante! O curso de Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem da Do It Better utiliza uma metodologia única e inovadora para preparar os seus formandos para desempenhar as suas funções com bastante rigor. Com este curso poderá vir a trabalhar em SPAS’s, Centros de Terapia, Clínicas de Fisioterapia, Centros de Medicina de Reabilitação, Health Clubs, Clínicas Especializadas em Estética, etc.

Interessa-se pela área? Então do que está à espera? Invista em si e no seu conhecimento, venha ser BETTER connosco!

Autoria: Sofia Pinto