11 de Novembro: Dia de são Martinho, dia de partilhar com o vizinho

São Martinho, dia de partilhar com o vizinho

Porque é afinal o dia de São Martinho tão importante?

Conta a lenda que S. Martinho antes de ser santificado foi soldado de um Imperador. Num dia tempestuoso de chuva e vento , enquanto montava o seu cavalo, surgiu-lhe no caminho um mendigo semi-nu de mão estendida, a tremer de frio e de fome.

O jovem cavaleiro ficou abalado, e depois de dar umas moedas ao pobre desceu do cavalo e com a própria espada cortou ao meio a capa que trazia, dando-lhe uma parte, para que ele se pudesse cobrir, e ficando com a outra metade para si.

No mesmo instante as nuvens desapareceram, levando consigo a tempestade, transformando-se então num lindo dia de sol.

A partir deste dia foi chamado o milagre de São Martinho, porque num dia triste de chuva, o gesto carinhoso do soldado trouxe um caloroso dia de sol.

Como forma de agradecimento a São Martinho, alguns países da Europa como Portugal, França e Alemanha, celebram esta lenda das mais diversas formas.

Em Portugal é uma tradição antiga celebrar esta data com um magusto, provando a água-pé e a jeropiga, tal como diz o ditado popular:“no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

Também, variando de país para país, comem-se castanhas assadas, acendem-se fogueiras, realizam-se procissões.

Em Espanha, por exemplo, matam-se porcos, tradição que deu origem ao ditado popular “a cada cerdo le llega su San Martín” (cada porco tem o seu São Martinho).

Por sua vez, no Reino Unido existe a expressão “Verão de São Martinho” que, apesar de já raramente utilizada, está também ligada com a crença de que o tempo melhora nos dias que antecedem o feriado.

Mas qual o motivo para se comer castanhas neste dia?

Acredita-se que a tradição do magusto é já muito antiga e tem origem na celebração do Dia de Todos os Santos.

Antigamente, nesse dia faziam-se fogueiras, onde se preparavam e assavam as castanhas.

Diz-se também que a origem do magusto está relacionada com as oferendas que se faziam aos familiares que já tinham morrido. Então, à meia-noite, preparava-se uma mesa com castanhas para os mortos virem comer. Obviamente, que ninguém comia essas castanhas!

Este dia ficou assim celebre mente conhecido, e ate aos dias de hoje a tradição mantém-se. As pessoas juntam-se para comer castanhas geralmente em volta de uma fogueira.

E como todos gostamos de uma boa celebração, a Do It Better não poderia passar sem lhe desejar um caloroso feriado, com muitas castanhas e junto das pessoas que lhe são importantes.