A Do It Better e o Sporting Clube Farense estabeleceram uma parceria de Colaboração

Com o objetivo de estabelecer novas relações perto dos locais onde se encontra,  a Do It Better, centro de formação profissional certificada , celebrou recentemente uma nova parceria com o Sporting Clube Farense.

Esta nova colaboração permite a todos os Associados e familiares diretos, bem como aos Atletas e Colaboradores do Sporting Clube Farense a ter um desconto de 10% no acesso as todas as áreas de formação na Do It Better.

Estabeleceu-se também a possibilidade de todos os formandos do Curso Técnico Auxiliar de Fisioterapia e Massagem da Do It Better realizarem Estágios Curriculares no Sporting Clube Farense após terminarem o curso.

Visite o nosso site para ver a nossa oferta formativa.

Autoria de: Madalena Pinto

vantagens da formação profissional contínua

6 Vantagens da Formação Profissional Contínua

A Importância e as Vantagens de uma Formação Profissional Contínua para as empresas e funcionários

Apostar num Investimento com Retorno

A formação profissional contínua tem um papel fulcral no desenvolvimento da carreira de qualquer profissional. No entanto, apesar da própria legislação portuguesa impor a obrigatoriedade das empresas proporcionarem a formação profissional contínua aos seus colaboradores, esta situação não é vista como uma oportunidade por todos os empregadores. O regime jurídico está previsto nos artigos 130º e seguintes do Código do Trabalho. Para algumas empresas a formação profissional contínua é apenas um aumento de custos para a própria organização e descartam os benefícios na aquisição de novos conhecimentos e na atualização ou renovação de conhecimentos anteriormente adquiridos .

A formação profissional contínua nas empresas é fundamental para garantir a qualificação do seu capital humano, pois são as pessoas que constituem a sua matéria-prima e, consequentemente, a sua mais-valia e diferencial no contexto de mercado. Apostar na formação dos recursos humanos é apostar na principal área chave para a competitividade. Sem trabalhadores qualificados não há organizações de sucesso. Daí que o investimento permanente em formação profissional dos quadros das empresas não possa ser encarado como um custo sem qualquer retorno, mas antes uma necessidade das próprias empresas, que precisam de funcionários preparados para qualquer desafio no âmbito da sua actividade profissional.

Por isso, há que evidenciar a importância e as vantagens que a formação profissional contínua traz, tanto para os profissionais, como para as empresas:

  • Formação significa mais produtividade;
  • Formação significa mais rentabilização;
  • Garante a validação de conhecimentos;
  • Informação mais atualizada;
  • Diferenciação no mercado.
  • Maior probabilidade de inserção profissional

Deste modo, parece-nos evidente que apostar na formação profissional contínua deve ser uma opção importante a considerar, pois conforme demonstrado, é uma opção que apresenta benefícios evidentes tanto para as empresas como para os seus próprios colaboradores.

Saiba ainda quais são as principais razões pelas quais as empresas tem de assegurar formação aos seus colaboradores!

vantagens da formação profissional contínua

Porquê da Obrigatoriedade das 35 horas de Formação?

Porquê da Obrigatoriedade das 35 horas de Formação?

Porquê da Obrigatoriedade das 35 horas de Formação?

A Formação contínua é essencial para que os recursos humanos se adaptem à constante evolução que ocorre dentro das empresas, mas também para melhorar os índices de produtividade e competitividade no Mercado em que a organização está inserida. Esta tem por vista a valorização dos colaboradores e o aumento dos seus níveis de empregabilidade, de modo a prevenir o eventual desemprego prolongado.

Em Portugal, muitas organizações desconhecem o direito dos colaboradores e da obrigatoriedade das respetivas entidades no que diz respeito às 35 horas de formação profissional.

Quais os deveres do empregador?

O empregador deve assegurar formação contínua a pelo menos 10% dos trabalhadores da empresa, em cada ano, quer estes sejam efetivo ou contratados a termo por um período igual ou superior a 3 meses. Para além disso, as empresas têm o dever de promover a qualificação do trabalhador, assegurando o direito individual à formação, organizar planos de formação e reconhecer as novas qualificações do trabalhador.

Cabe às organizações, como promoção da qualificação do trabalhador, também:

  • Assegurar o direito individual à formação;
  • Organizar planos de formação anuais ou plurianuais;
  • Reconhecer e valorizar a qualificação adquirida pelo trabalhador;
  • Habilitar os trabalhadores a prevenir os riscos associados à respetiva atividade.

Quais os direitos e deveres dos trabalhadores?

O trabalhador tem direito em cada ano a um número mínimo de 35 horas de formação contínua. Da mesma forma, o este não pode recusar-se a participar em ações de formação profissional.

Segundo o Código do Trabalho, se, ao fim de dois anos, existirem horas de formação que não tenham sido asseguradas, estas convertem-se em crédito que confere direito a retribuição e contam como tempo de serviço.

O incumprimento resulta em coimas aplicadas pela Autoridade para as Condições do Trabalho. Esta coima pode resultar num valor entre os 612 e os 9.060 euros.

A Do It Better, enquanto instituição de ensino, tem formação específica para empresas. OS nossos serviços são direcionados para empresas e grandes grupos que procuram aumentar as qualificações dos seus quadros. As nossas formações vão além-fronteiras pelo que, se estiver fora de Portugal, também poderá usufruir dos nossos serviços uma vez que dispomos de formação à medida e de acordo com as necessidades específicas de cada entidade.

Para mais informações, pode consultar a área de Empresas do nosso site. Torne a sua organização Better connosco!

Autoria: Miguel Pimenta

certificado de competências pedagógicas ex-CAP

Como obter o certificado de formador?

 

Para exercer a atividade de formador nas suas diferentes componentes de formação de base, sociocultural e científica, das várias modalidades de formação do Sistema Nacional de Qualificações, é requerida a certificação para o ensino, nos termos da legislação em vigor.

Um formador profissional desempenha um papel fulcral na formação dos seus formandos. O formador orienta uma turma para a prática de diversas áreas profissionais e, como tal, uma das suas principais funções é proporcionar o desenvolvimento das competências específicas relacionadas com essas áreas. Assim como, incentivar e avaliar um grupo de formandos, para que, no final da formação, estes se demonstrem aptos para adquirir o Certificado de Competências Pedagógicas – documento que declara que determinado profissional detém as competências necessárias ao exercício de uma profissão pedagógica de formador e, é isento de renovação, uma vez que é vitalício.

Esta habilitação é concedida pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional e, requer o cumprimento de um conjunto de requisitos para os profissionais que possuem a ambição de iniciar a profissão de formador.

certificado de competências pedagógicas ex-CAP

Para obter o CCP, os candidatos têm de cumprir com os seguintes requisitos:

  • Ter, pelo menos, o 9º ano de escolaridade;
  • Frequentar e concluir com aproveitamento um Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores.

Será também possível adquirir este certificado se possuir uma instrução de nível superior, ou seja, uma habilitação para o ensino.

Com o CCP, anteriormente designado CAP, os candidatos a formadores podem exercer a atividade profissional de formador em Cursos de Aprendizagem, Cursos de Educação e, Formação de Adultos.

Para além destas modalidades de ensino, existem ainda outras como, Formações Modulares Certificadas e, ainda Cursos Vida Ativa. É com esta crescente importância da formação profissional em Portugal que é cada vez mais crucial formar profissionais competentes. E, garantir a qualidade da formação de formadores traduz-se na garantia da qualidade da formação profissional.

A Do It Better, Centro de Formação Profissional, localizada de norte a sul do país, faculta o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores em:

  • Lisboa
  • Amadora
  • Alverca
  • Almada
  • Porto
  • Coimbra
  • Braga
  • Faro
  • N.Gaia
  • J.Madeira
  • Setúbal
  • Viseu

Na DO IT BETTER a qualidade da formação é uma prioridade e, como tal, no seu curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores são fornecidos todos os recursos necessários de forma a que os seus formandos explorem as temáticas variadas dos módulos, otimizem o seu potencial, desenvolvam novas competências e, fiquem preparados para o exercício da sua atividade profissional.

O curso tem uma duração mínima de 90 horas, decorre em horário laboral ( existe também a possibilidade de frequentar em horário pós-laboral) e, é lecionado em regime presencial e em B-learning.

Esta modalidade de ensino em B-learning, articula alguns elementos da formação à distancia em regime E-Learning com elementos da formação presencial. Ou seja, o processo de ensino-aprendizagem decorre parcialmente através de uma plataforma, mas também integra algumas ocasiões em contexto de sala de aula.

Após a aprovação do curso, o formando irá dominar todas as competências, pessoais e sociais, relacionadas com a atividade de formador e estará apto a solicitar o certificado de competências pedagógicas.

O que é o Certificado de Competências Pedagógicas?

Documento que declara que determinado profissional detém as competências necessárias ao exercício de uma profissão pedagógica de formador.

Como posso obter o CCP?

Esta habilitação é concedida pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional e, requer o cumprimento de um conjunto de requisitos para os profissionais que possuem a ambição de iniciar a profissão de formador.

Para obter o CCP, os candidatos têm de cumprir com os seguintes requisitos: ter, pelo menos, o 9º ano de escolaridade; frequentar e concluir com aproveitamento um Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores.

Será também possível adquirir este certificado se possuir uma instrução de nível superior, ou seja, uma habilitação para o ensino.

Qual é a validade do CCP?

Isento de renovação, uma vez que é vitalício.

Como me posso inscrever no curso de FPIF?

A Do It Better, Centro de Formação Profissional, localizada de norte a sul do país, faculta o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores em:

  • Lisboa
  • Amadora
  • Alverca
  • Almada
  • Porto
  • Coimbra
  • Braga
  • Faro
  • Vila Nova Gaia
  • São João da Madeira
  • Viseu
  • Setúbal

Qual é a duração de um curso FPIF?

O curso tem uma duração mínima de 90 horas, decorre em horário laboral ( existe também a possibilidade de frequentar em horário pós-laboral ) e, é lecionado em regime presencial e em B-learning.

O que é B-learning?

Esta modalidade de ensino em B-learning, articula alguns elementos da formação à distancia em regime E-Learning com elementos da formação presencial. Ou seja, o processo de ensino-aprendizagem decorre parcialmente através de uma plataforma, mas também integra algumas ocasiões em contexto de sala de aula.

Como tornar o meu perfil de LinkedIn mais profissional?

É profissional e aparentemente abre novas portas para o mercado de trabalho, mas como tornar o meu perfil de LinkedIn mais profissional?

O LinkedIn é uma rede social que tem vindo a crescer cada vez mais, nomeadamente, em Portugal. Este serviço é focado em relações profissionais e os seus utilizadores têm como funcionalidades criar uma rede de contactos, estar a par das novas vagas de emprego e das novidades do mercado de trabalho. É ainda, uma ferramenta para muitas empresas terem acesso a currículos profissionais.

Tem LinkedIn e ainda não domina esta rede social? Então leia as seguintes dicas e tire o máximo proveito deste serviço:

  1. Seja sucinto e claro/a nas palavras-chaves que escolhe para a sua descrição inicial, nesta é aconselhável mencionar seu título profissional, atual emprego e prévios, áreas de interesse e competências;
  2. Siga pelo menos 10 empresas onde desejasse trabalhar, potenciais parceiros e/ou perfis de concorrentes;
  3. Peça para aderir a grupos de LinkedIn na sua área profissional;
  4. No início de cada ano tenha a preocupação de atualizar a sua foto de perfil;
  5. Personalize o URL do seu perfil (https://www.linkedin.com/company/do-it-better/ – exemplo ilustrativo);
  6. No feed do seu LinkedIn coloque cinco gostos em publicações do seu interesse;
  7. Faça recomendações no perfil de alguém que esteja conectado à sua rede;
  8. Faça 5 novos pedidos de conecção e adicione uma nota de “boas-vindas” por mensagem;
  9. Parabenize alguns contactos da sua rede;
  10. Se convidar pessoas que não conheça pessoalmente, dê razões porque pretende efetuar a conecção;
  11. Adicione uma imagem de fundo ao seu perfil (tamanho ideal 1584×396);
  12. Caso esteja à procura de empregos, pesquise vagas no seguinte link;
  13. Pesquise dois perfis que também trabalhem na sua área profissional, investigue os grupos que seguem, e selecione 5 grupos do seu interesse;
  14. Comente 3 publicações de membros da sua rede no feed.
  15. Se quiser investigar e potenciar ainda mais o seu perfil LinkedIn, saiba mais aqui!

O LinkedIn tem ainda diversos conteúdos disponíveis a qualquer utilizador para adquirir novos conhecimentos, como a opção E-Learning que disponibiliza várias pré-visualizações de possíveis cursos dentro do seu setor profissional ou de interesse, sendo que o primeiro mês é gratuito. Bem como, obter um certificado de inglês gratuito.

A Do It Better tem como missão potenciar a formação e qualificação de todos os clientes com o intuito de alcançarem o sucesso no mercado de trabalho. Desta forma, ambos se complementam e o ajudam a atingir os seus objetivos profissionais.

Como nos devemos apresentar numa entrevista de emprego

A aparência é um fator determinante na tomada de decisão pela entidade empregadora. Um Dress Code ajustado à área a que se candidata é meio caminho andado para ter sucesso.

É preciso apenas 10 segundos de entrevista para se avaliar a imagem. Nunca ouviu dizer que não há uma segunda oportunidade para criar um primeira boa impressão? A imagem é decisiva e  ter em atenção como nos devemos apresentar numa entrevista de emprego é um dos elementos mais importantes. A aparência é um fator determinante na tomada de decisão pela entidade empregadora.

A maneira como nos apresentamos é um dos primeiros sinais analisados, uma vez que dá indicadores determinantes a quem nos vai entrevistar, se a nossa imagem está ou não dentro dos padrões, requisitos e política da empresa.

Muitas vezes até pode ser um candidato com altas competências e com um curriculum invejável, no entanto, se tiver uma má aparência pode deixar cair uma boa oportunidade de emprego, quem sabe a oportunidade da sua vida. Há várias recomendações para ter uma boa performance numa entrevista de emprego.

Não facilite, prepare-se! Ajuste o tipo de roupa ao cargo para o qual se candidata. Passada esta primeira fase de impacto visual, tenha em atenção à postura corporal, pois ela irá dizer se está enquadrado com o Dress code que tem vestido no momento.

O Dress code é, muitas vezes, um género de protocolo que as empresas usam e que normalmente é imposto a todos os colaboradores. É a forma como as empresas se querem apresentar ao mercado e diferenciar da concorrência. Faz parte dos valores da empresa! Neste sentido, a recomendação passa por pesquisar sempre informação sobre a empresa. Perceba se há um dress Code, se tem um estilo pré-definido. Os fatos, vestidos, o calçado, o esquema de cores, o cabelo e até a maquilhagem, pois quando chegar o momento da entrevista, irão existir  algumas semelhanças com o que empresa procura no candidato. E você quer estar certamente dentro destes padrões.

A imagem para um profissional é muito importante para manter a sua reputação e transmitir uma imagem segura. É sempre importante ter em conta a posição de hierarquia que se vai ocupar na empresa.

Há vários tipos de dress code, que podem variar de acordo com a área, cargo ou sector de atividade da empresa, tais como:

Dress code formal que é utilizado pelos profissionais corporativos, numa área onde normalmente ocorrem várias reuniões e a apresentação tem de ser bastante séria. Normalmente são usadas cores sóbrias, usam muitas vezes os ternos, peças de alfaitaria como a famosa camisa branca ,o blazer, sapatos fechados, gravata e bolsas estruturadas. Este estilo de dress code mais formal enquadrasse principalmente a advogados, juristas, empresários e a Bancários.

Dress code regular. É um estilo utilizado por médicos, contabilistas e administrativos. Utilizam camisas básicas, polos, sapatos de vela ou derbies e calças básicas mas sem blaiser.

Dress code casual muitas vezes usados por profissionais corporativos. A utilização de saias até ao joelho, camisas coloridas, sapatos fechados, blazer mais cinturados e coloridos.

Dress code informal muitas vezes usados pelos profissionais de comunicação, onde (quase) tudo é permitido, como misturar o formal e o informal. A utilização de sapatilhas, calças de ganga e t-shirts não é um problema. A não ser que tenha alguma reunião. Aí convém saltar dois degraus e estar adaptar-se ao momento.

A imagem não é tudo, mas é fundamental estar devidamente enquadrado, ajustado e alinhado com os valores da empresa. O segredo está na capacidade de adaptação. Por isso ajuste o seu estilo.

Um Certificado que abre novas “Portas”

Porquê ter um CCP (Certificado de Competências Pedagógicas)?

O CCP (ex-CAP) ou Certificado de Competências Pedagógicas é o documento que habilita qualquer profissional para exercer a atividade profissional de formador em cursos de aprendizagem, cursos de educação, formação de adultos e formações modulares certificados.

Aos formandos que concluírem com aproveitamento a Formação Pedagógica Inicial de Formadores é entregue um Certificado de Formação Profissional, sendo solicitada a sua atribuição junto do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Os participantes deste curso ficaram aptos a:

  • Desenvolver competências de ação pedagógica em contexto empresarial;
  • Preparar métodos de formação para as novas exigências no domínio da formação;
  • Organizar, planear e animar sessões de formação utilizando regras básicas de comunicação;
  • Desenvolver uma relação pedagógica adequada;
  • Dominar os audiovisuais como apoio à formação;
  • Aplicar a avaliação, reconhecendo e criando os respetivos instrumentos;

Para obter este certificado é necessário cumprir com alguns requisitos.

Atualmente as empresas procuram por formadores com formação específica em várias áreas, com o objetivo de renovar e qualificar alguns dos seus departamentos, pelo que a procura destes profissionais cresceu nos últimos anos.

Saiba também quais as principais razões pelas quais as empresas tem de assegurar formação aos seus colaboradores.

A Do It Better ministra o curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores com vários horários disponíveis, em regime b-learning e presencial com a duração de 90h. Um curso prático e focado nas exigências atuais do mercado de trabalho.

Autoria: Arnaldo Lupeta

7 Erros que não pode cometer numa entrevista de emprego

Sabia que os primeiros minutos são aqueles que, na sua maioria, ditam o fracasso ou o sucesso de uma entrevista? Descubra quais os erros e comportamentos que deve evitar quando está a ser entrevistado.

Estamos perante um mercado cada vez mais competitivo, onde a procura por vagas é bastante superior ao número de vagas oferecidas. Obter uma colocação no mercado de trabalho é um desafio constante, não só para quem procura o primeiro emprego mas também para quem procura uma recolocação profissional.

O comportamento verbal e não-verbal que é adotado tem um impacto direto na tomada de decisão por parte dos recrutadores, daí que seja fundamental uma preparação prévia para este tipo de ocasião.

A entrevista é a porta de entrada para o mercado de trabalho. Todos os detalhes contam! Seja precavido e veja quais os erros que não deve cometer:

  1. Falar mal das entidades patronais anteriores

Este é dos piores erros que pode cometer numa entrevista de emprego. Mesmo que as suas experiências anteriores não tenham sido as melhores, não deve expressá-lo.

Não se esqueça que as suas antigas entidades patronais podem ser eventuais parceiras de negócio ou concorrentes da entidade a que se está a candidatar, portanto deve-se manter imparcial e não revelar a sua opinião pessoal.

Concentre-se nas suas competências e fale apenas das experiências que considere decisivas para o sucesso da entrevista.

  1. Não ter perguntas

Não colocar perguntas pode mostrar pouco entusiasmo e falta de curiosidade pela empresa à qual estamos a concorrer.

Por outro lado, quando colocamos perguntas estamos automaticamente a criar uma ligação com o entrevistador, sendo uma boa oportunidade para demonstrar as nossas capacidades comunicativas e destacar-nos dos demais candidatos.

  1. Discurso/ erros gramaticais

Os erros gramaticais e a forma como o discurso é organizado continuam a ser das falhas mais apontadas pelos recrutadores.

Esteja bem preparado, apresente um discurso simples e claro de forma a minimizar os erros a nível linguístico.

 

Os erros inerentes ao comportamento verbal têm, de facto, um grande impacto no resultado final, no entanto são os comportamentos não verbais que decidem uma contratação.

  1. Imagem pouco cuidada e má postura

A má postura é um comportamento para o qual os entrevistados estão bastante consciencializados, contudo continua a ser um dos erros que mais se comete numa entrevista. Este tipo de comportamento advém de hábitos e por vezes são cometidos involuntariamente.

Para ultrapassar este obstáculo é importante que treine em casa quais as posturas a adotar, posturas essas que devem demonstrar segurança, interesse e maturidade.

Aposte na sua imagem e certifique-se que vai de acordo com a cultura organizacional da empresa.

Saiba também como se deve apresentar numa entrevista de emprego.

  1. Não fazer contacto visual

Dificilmente será contratado se não tiver em conta este comportamento.

Olhar diretamente para o entrevistador demonstra destreza e confiança em si mesmo, portanto deixe de lado a timidez e o nervosismo, pois este é um requisito e uma característica que diz muito da sua personalidade.

  1. Nunca se atrase

Como o velho ditado diz: A primeira impressão é a que fica. Até pode ter um currículo fenomenal e uma capacidade de comunicação acima da média, no entanto nada lhe vale se não chegar a horas.

Chegue com alguma antecedência ao local onde se irá realizar a entrevista e tenha em mente que a pontualidade ou a falta dela, neste caso, pode ser um fator de eliminação.

  1. Falta de sorriso

As entrevistas são ocasiões que se devem levar a sério, no entanto muito dos candidatos caiem no erro de adotar uma postura rígida.

Sorria, mostre entusiasmo e cative o recrutador!

Conheça ainda os 8 passos fundamentais para ter uma boa entrevista de emprego.

A importância do marketing e das técnicas de venda

O Marketing e Técnicas de Vendas são algumas das principais atividades desenvolvidas no seio empresarial, uma vez que sem estratégia torna-se muito difícil vender produtos e/ou serviços. No que à concorrência diz respeito, uma empresa sem estratégia definida, plano de marketing estruturado ou uma planificação de técnicas de vendas atualizadas está inevitavelmente um passo atrás no mercado.

A identificação das necessidades, desejos ou interesses dos clientes são alguns dos passos elementares para que seja possível delinear uma estratégia de acordo com as intenções de mercado.

Com a proliferação do mercado digital, os clientes passaram a ter acesso a informação detalhada sobre produtos. Analisam alternativas, comparam preços e juntam um leque alargado de informação antes de tomar uma decisão. Claro que há variáveis que influenciam todo este processo, como as recomendações, líderes de opinião, amostras, promoções, bem como a publicidade, tanto online como offline. Assim, ter um técnico de marketing torna-se cada vez mais importante, prevendo-se que, dentro de poucos anos, seja um posto imprescindível numa empresa.

Na área de técnicas de vendas o que está presente antes do cliente é toda a campanha que tem que ser divulgada na apresentação do produto, desta forma promotores e comercias têm uma preparação prévia. São eles os principais embaixadores da marca, pelo que é fundamental saberem detalhadamente todas as características dos produtos que comercializam.

Para obter resultados positivos numa empresa, a realização de vendas exige uma habilidade de negociação, sendo elas as seguintes:

  • Boa apresentação;
  • Correta expressão oral;
  • Negociar cara a cara;
  • Criação de empatia;
  • Solucionar conflitos;
  • Boa capacidade de comunicação;
  • Conversa fluente e persuasiva;
  • Poder de argumentação;
  • Conhecimento da psicologia ao cliente;
  • Aceitação de diferentes pontos de vista;

Grandes e pequenas empresas procuram investir em formações especificas de pequena ou de longa duração, a fim de potencializar habilidades e competências de negociação aos seus colaboradores, elaborando assim novas técnicas de venda, e uma nova atualização de informação aos seus funcionários garantindo assim um melhor desempenho de trabalho.

Autoria: Edna Santos

A importância e funções da Gestão de Recursos Humanos nas empresas

As empresas não funcionam sem pessoas.

A gestão de recursos humanos tem uma grande relevância dentro das empresas pela ponte que faz entre as necessidades individuais e organizacionais. Esta área requer cuidado e planeamento uma vez que as pessoas interferem positiva ou negativamente na empresa.

Todos os dias queremos evoluir, enfrentar novos desafios, desenvolver  projetos, contribuir e adquirir novos conhecimentos. Neste sentido a gestão de recursos humanos é mais do que gerir pessoas, serve mutuamente para gerir experiências, valorização e formação proporcionando um melhor desempenho das atividades.

Uma gestão eficiente e a boa seleção de candidatos é a receita essencial para o sucesso organizacional. Atrair, reter e desenvolver talentos nas organizações apresenta uma maior vantagem competitiva e é atualmente um desafio da Gestão de Recursos Humanos. Conduzir as pessoas, coordená-las emocional e comportamentalmente dentro da organização conserva-as mais entusiasmadas e envolvidas com o trabalho, atingindo mais facilmente os objetivos, metas e estratégias.

A Gestão de Recursos humanos é um conjunto de processos e práticas que constituem a gestão do trabalho como o recrutamento e seleção das pessoas, a sua integração e acolhimento na empresa, descrição e análise de funções, a avalição de desempenho, remunerações e incentivos, higiene e saúde no trabalho e a sua formação e desenvolvimento.

Diferença entre contabilidade organizada e contabilidade simplificada

Requisitos necessários para estruturar a contabilidade da sua empresa.

Vai abrir uma empresa ou desenvolver uma atividade comercial, e não sabe quais os requisitos obrigatórios para organizar a contabilidade ? Descubra as duas formas possíveis de o fazer de forma clara e concisa.

A contabilidade organizada é uma opção de tributação dos rendimentos no qual uma atividade comercial ou um negócio pode estar sujeito. Este regime fiscal é obrigatório para as empresas constituídas em sociedade, entre elas as sociedades em nome individual, sociedades por quotas e sociedades anónimas.

O regime da contabilidade organizada tem a grande vantagem de apurar o lucro ou o prejuízo de forma rigorosa e poder deduzir grande parte das despesas profissionais (por exemplo, combustível, estadias, material informático, entre outros).

Apesar de ser mais eficiente sobre o ponto de vista fiscal, permitindo a dedução da generalidade dos encargos com a profissão, o sujeito passivo é obrigado a contratar um técnico oficial de contas (TOC), que submeterá as declarações do sujeito.

Outra desvantagem reside no facto de ser obrigatório a elaboração de dossiers fiscais que devem ser apresentados anualmente e guardados durante vários anos, o que retira algum tempo à empresa.

Por sua vez, o regime simplificado é a forma de tributação automática que as finanças atribuem a profissionais liberais ou empresários em nome individual quando estes iniciam uma atividade. Como é um regime aplicado por defeito,  caso os contribuintes não o pretendam, devem formalizar a escolha da outra opção com a devida atencedência.

A vantagem deste regime, quando comparado com o da contabilidade organizada, reside no facto de ter menos obrigações fiscais e despesas extra, além de não ser obrigatória a contratação de um Técnico Oficial de Conta, sendo esse um gasto a menos. Assim, caso o sujeito passivo tenha conhecimento na área, poderá ele mesmo fazer toda a contabilidade da sua empresa. A grande desvantagem está relacionada com a impossibilidade de deduzir as despesas.

A escolha do regime variará de acordo com cada caso, já que diferentes despesas terão de ser tidas em conta. Por norma, quanto maior a atividade, mais se justifica o regime da contabilidade organizada. Uma vez que, quanto maior for a atividade, maiores serão os custos.

Ideias & Sugestões

Há sempre uma solução, deixe a sua palavra!

A sua opinião é fundamental para nós!

Este novo espaço de partilha tem como objetivo melhorar o nosso serviço de modo a satisfazer as necessidades dos nossos formandos, procurando assim elevar os nossos padrões de qualidade.

Este é um portal privilegiado onde os nossos formadores, formandos ou público em geral pode dar a sua opinião, sugestão, partilhar a sua experiência ou até mesmo identificar os aspectos que considere menos positivos que encontrou nos nossos centros. É através da avaliação destes contributos que a Do It Better pode reflectir e decidir de forma objetiva sobre o futuro.

A sua satisfação é o nosso maior compromisso. Partilhe a sua opinião preenchendo o formulário de contacto.