Faça parte de uma equipa médica pela causa animal

equipa médica pela causa animal No decorrer do tempo a adesão à causa animal aumentou e tornou-se num dos campos mais persuasivos dentro da sociedade. Faça parte de uma equipa médica pela causa animal e tenha a força necessária para juntar os demais em manifestos pelos direitos daqueles que não têm voz, criando uma corrente que mostra uma nova visão dos animais através da empatia.

 

Muitas são as pessoas que tomam a decisão de se formarem em Medicina Veterinária ou optam por cursos mais técnicos como o de Assistente Auxiliar de forma a satisfazerem o seu gosto por animais. Na verdade, quem opta por esta formação tem de ter um carinho especial por este seres, pois neste caso é necessário ter “amor à profissão”. Contudo, após o término e obtenção do certificado a procura surge, essencialmente, em clínicas veterinárias, seguidas de lojas específicas para venda de produtos para animais, onde aplicam, por exemplo, técnicas na área de estética animal.

Existem, por outro lado, outras saídas profissionais para a aplicação de conhecimentos na área de Veterinária e que dão realce ao currículo de quem se pretende distinguir dos modelos comuns. Exemplo disso é a oportunidade de integrarem em associações de causa animal, onde poderão adotar uma atitude de compaixão e prestar assistência a animais que estão, geralmente, em situações desfavorecidas. Para além da experiência enriquecedora, poderão ter contacto com realidades, que ao contrário, de clínicas privadas não surge com regularidade. Ganharão vivências e práticas que poderão traçar-lhes um projeto de vida rico de conhecimento, técnicas e emoções. Algo que poderão guardar para sempre e partilhar com os profissionais que nunca puderam  agregar nesse tipo de trabalho de campo.

Saiba quais os projetos de intervenção comunitária realizados na Do It Better

Demonstração real desta forma de ação são os Veterinários Sem Fronteiras (VSF), uma jovem associação internacional, que junta esforços e dá apoio aos países em vias desenvolvimento, onde os serviços de Veterinária são muito deficientes. Umas das suas últimas missões focou-se na ajuda de tratamento de doenças transmissíveis ao Homem em Cabo Verde. Para além da prestação de assistência aos médicos veterinários da cidade de Santiago no tratamento de cães e gatos, deram ainda apoio às autoridade locais no controlo das populações de cães vadios e partilharam conhecimentos entre os profissionais, alertando para as mais de 60 doenças que podem ser transmitidas dos animais para as pessoas.

Pertencer à área de veterinária não se condensa ao cuidado de animais de companhia num ambiente formal e cuidado. Quem integra nesta área passa também pela partilha e aprendizagem de conhecimentos fora da bolha constante e acaba por participar num trabalho que se traduz em recompensa. Ou seja, trata-se de experimentar a profissão dentro de outros moldes, onde se dá resposta a todos os animais, independentemente de terem ou não uma pessoa responsável por eles. Pertencer a uma instituição humanitária, que visa uma causa, onde a atitude centra-se no animal, torna o desafio maior, mas ao mesmo tempo sente-se um participante ativo e apoiante de uma causa.

Autoria: Catarina Brito