Quais as doenças mais comuns dos seus animais de estimação?

Tem cães e/ou gatos e quer-se informar sobre as doenças mais comuns que os seus parceiros de quatro patas podem contrair?

Tem aqui um artigo bastante completo, tanto para cães como para gatos, que refere as principais doenças, os seus primeiros sintomas e possibilidades de prevenção ou tratamento.

Então nos seguintes três pontos são referidas três das doenças caninas mais comuns:

Raiva: é a doença com maior taxa de mortalidade e tem origem num vírus da família Rhabdoviridae. A transmissão ocorre através da saliva e a infecção desenvolve-se no sistema nervoso. Desta forma, os sintomas que o animal apresenta são de extrema agitação e espasmos intensos nos músculos. A sua propagação total dura poucos dias, nos quais o cão tem uma perda total de apetite que culmina numa paralisia mortal.  Também existe a chamada raiva muda, que se traduz num comportamento depressivo tendo o mesmo destino.

Cinomose: também conhecida como Esgana ou doença de Carré. É relevante frisar que é uma doença contagiosa e os cães mais propensos a desenvolver esta doença são os mais novos (durante o primeiro ano de vida) ou os adultos que não tenham sido devidamente vacinados em cachorrinhos. O desenvolvimento da doença desenvolve-se em todo o organismo com principal incidência nos pulmões, nos intestinos e no sistema nervoso. Os sintomas iniciais por norma são a nível respiratório (inclusivé pneumonias) e secreções nasais, com o avançar da doença em casos menos sérios resume-se a vómitos, diarreias e perdas de apetite, em casos mais graves, a convulsões, ataques epilépticos e paralisias.
Quanto ao tratamento da Cinomose não há cura, porém há tratamentos realizados através da vacinação que vão controlando a doença.

Leshmaniose: ou também chamada de calazar, é propagada através de um parasita que se infiltra na medula óssea ou em órgãos como o baço, fígado ou mesmo na pele. O período de incubação vai de um mês a dois anos. Relativamente aos sintomas, deve ter cuidado com excessiva perda de pelo, descamação da pele e surgimento de úlceras. Também é comum vómitos, perda de apetite, anemia, hemorragias nasais, atrofia muscular e alterações no fígado ou rins. É de salientar que a doença é crónica e os tratamentos nem sempre resultam.
Por estas razões, é importante o cão ser acompanhado ao longo da vida por um médico veterinário, pode também prevenir a propagação da doença com o uso regular de coleiras, pulverizadores e pipetas insecticidas.

Saiba também como proteger as patinhas do seu cão

Vamos agora focar a temática das doenças mais comuns nos gatos, mencionando as três mais vulgares:

Vírus da Imunodependência Felina (FIV): esta é uma doença complicada de lidar e de tratar, porque tem um forte impacto negativo na capacidade de auto suficiência imunológica dos gatos, no sentido em que vai diminuindo as suas defesas. Comparando com as doenças humanas, a FIV tem o mesmo impacto no organismo do gato que a AIDS tem no organismo do ser humano.
Os principais sintomas são a perda de apetite, emagrecimento excessivo, febre constante e dificuldade em respirar.
Neste caso, é imprescindível o animal ser devidamente tratado caso contrário acabará por morrer.

Insuficiência Renal: esta é uma doença muito comum nos gatos, nomeadamente, numa idade mais idosa. Sucede na incapacidade do sistema renal de filtragem do sangue deixar de ser autónomo. Embora também se desenvolva nos humanos, este artigo foca todas as informações no caso do gatos. Existem portanto, dois tipos de insuficiência renal: aguda ou crónica.

A Insuficiência Renal Aguda é provocada muitas vezes por um conjunto de fatores como a desidratação, hemorragia, pressão arterial muito baixa, queimaduras e hipotermia ou hipertermia. Estes fatores por sua vez desencadeiam isquemias ou substâncias tóxicas. Os sintomas apresentados normalmente são a depressão, vómitos, diarreia, entre outros.
A principal prevenção é assegurar que o seu gato faz análises regularmente e que estas são analisadas por um médico veterinário. Curiosamente, uma má escolha de ração pode também desencadear esta doença. Assim, a melhor forma de cuidar do seu patudo neste caso é prevenir e atuar o mais cedo possível.

Doenças Respiratórias: são realmente bastante comuns nos gatos. Dentro deste tema existem a asma, rinotraqueíte viral, infecções pulmonares, entre outras. Os principais sintomas são dificuldade em respirar, espirros e tosse frequente, barulhos anormais no processo de respirar e expirar, falta de apetite e secreção no nariz. Tal como no ponto acima a prevenção é a melhor forma de impedir a progressão ou manter a doença controlada.

Agora que já se encontra minimamente informado sobre as possíveis doenças que quer o seu cão, quer o seu gato podem contrair, certifique-se que o seu animal de estimação faz análises regularmente e é devidamente acompanhado pelo seu médico veterinário.

Caso tenho um gosto especial por estes peludos de quatro patas e até tem aquele sonho de infância de se tornar veterinário/a, a Do It Better pode ajudá-lo/a  a concretizar o seu sonho com o curso Técnico/a Auxiliar de Veterinária.

Autoria: Catarina Antunes